Os textos dissertativos precisam morrer
Ryo
476

Oi, Ryo
Sei que não nos conhecemos, mas seu texto me chegou pela news do Medium e senti vontade de escrever uma resposta. Embora eu respeite, não concordo com seu ponto de vista sobre as dissertações. Eu escrevi um monte delas ao longo da vida e acho que a ideia desse tipo de texto é justamente que você construa uma linha de raciocínio a partir da sua opinião individual. Essa linha de raciocínio não precisa ser a solução definitiva para o problema em questão, mas uma solução possível, baseada numa lógica da qual você pode até discordar, mas que consegue compreender. Daí, a importância que eu enxergo em escrevermos dissertações. Para mim, elas servem para diminuir uma coisa que você cita que te incomoda no mundo atual e eu também não curto, que é a profusão de opiniões raivosas sem qualquer fundamento. Se estivéssemos escrevendo dissertações e não opiniões, estaríamos colocando nossos pontos de vista de forma mais ponderada e não defendendo “crenças”, como você diz. 
Pelos motivos expostos, discordo também quando você diz que “ a questão final é compreender como tudo pode funcionar como um grande sistema integrado”. Não acho que deva haver uma questão final quando o assunto é a discussão. Discutir é trocar ideias e conhecer o mundo do outro, o que não deixa de ser um exercício muito interessante e pouco frequente nos dias de hoje.
Enfim, parabéns pelo texto e um abraço!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.