Rotina

Ela acorda, abre a janela e vê um dia lindo lá fora: ensolarado, com algumas nuvens espaçadas no céu, e uma brisa da manhã que refresca seu rosto. Um ótimo dia para ir andando para o trabalho. Ela toma seu café, veste uma roupa leve e sapatos confortáveis. São apenas vinte minutos de caminhada. Sai de casa, andando a passos largos e lentos, apreciando as árvores, o céu e a arquitetura dos prédios. Ainda está cedo e poucas pessoas caminham nas ruas.

Virando a esquina, ela vê dois homens sentados em um banco. Eles conversam e riem entre si, parecem simpáticos. Assim que percebem sua presença, o riso diminui, e antes que seus olhares possam cruzar com o seu, ela baixa a cabeça e olha para os sapatos. Eles esperam ela passar, em silêncio, e a olham dos pés a cabeça, como um scanner, emitindo apenas o som da respiração, enquanto ela, prende a sua e apressa o passo.

Como pode com um olhar ela se sentir tão invadida? — Se pergunta toda mulher que um dia saiu pra caminhar.