Níveis Neurológicos da PNL

A ideia genial de Bateson modelada por Dilts

Níveis neurológicos é uma ferramenta criada por Robert Dilts, um dos grandes nomes da PNL e do Coaching. Esta ferramenta da PNL pressupõe que nós atuamos em seis níveis neurológicos (ou lógicos) que compõe a nossa estrutura vivencial. Seguindo a hierarquia destes níveis, partindo do mais baixo ao mais alto, temos: Ambiente, Comportamentos, Capacidades, Crenças, Identidade e Espiritual (Sistêmico).

Exemplificando a ideia dos níveis neurológicos

Imagine este exemplo: sua casa está uma bagunça (ambiente) e isto limita as suas ações (comportamentos) interfere em seu desempenho (capacidades), fazendo você acreditar que não pode ou não consegue fazer algumas tarefas (crenças), o que pode interferir sobre o que você pensa de si mesmo (identidade), prejudicando o seu relacionamento com os outros (espiritualidade).

Neste exemplo percebemos que se limparmos o ambiente em nossa casa, isto pode potencializar as nossas capacidades, fazendo com que tenhamos novos comportamentos; pode mesmo interferir em nossas crenças sobre nossa identidade, potencializando a nossa missão de vida.

“A solução de um problema está em um nível superior ao que foi criado (Albert Einstein)”.

Programando mudanças nos níveis neurológicos

Uma alteração no ambiente pode interferir no mais alto nível lógico que é o da nossa espiritualidade. Mas se nossa mudança ocorrer diretamente em um nível superior, como o Espiritual ou o da Identidade, invariavelmente causará mudanças nos níveis abaixo. Assim, se mudarmos o conceito que temos acerca de nós mesmos imediatamente teremos novas crenças, novos comportamentos e capacidades que nos farão rever os ambientes nos quais nos envolvemos.

Com base nisso, pare um pouco e reflita: Onde estão os ambientes que você frequenta? (ambiente) O que você faz nestes ambientes? (comportamentos) Como você faz? (capacidades) Por que você faz? (crenças e valores) Quem é você? (identidade)Quem mais isto afeta? (visão/missão/espiritualidade)

Alinhamento de Níveis Neurológicos

É possível alinhar ou realinhar os níveis neurológicos. A teoria é que no decorrer de nossa vida, com nossos compromissos e agitações, os níveis neurológicos se desalinham conforme nos envolvemos com tarefas e funções que compõe nosso dia a dia. Devido ao amor, vivemos voluntariamente algumas contrariedades.

Infelizmente é comum vivermos uma vida que não é a nossa, fazendo coisas que nos contrariam, pois vão contra os nossos valores e crenças pessoais e perante as quais criamos resistência, por mais importantes que sejam estas tarefas. Nem sempre estamos em uma profissão que nos agrade, por exemplo, assim como é fácil encontrar pessoas que estão casadas, mas sem encontrar felicidade no casamento.

Outro exemplo: a mãe ama o seu filho, mas não gosta de ter que ficar com ele no hospital, pois o que ela deseja é que ele tenha saúde e não precise recorrer à internação. Mas se o filho ficar doente e precisar ficar internado, mesmo a mãe não gostando disso, ou seja, de ver o filho doente e precisar interná-lo, submete-se voluntariamente a esta tarefa no objetivo de restituir a saúde ao filho.

Auto resgate e reflexão profunda

Ao aplicarmos a técnica de realinhamento dos níveis neurológicos, resgatamos o indivíduo à si mesmo, fazendo-o rever a sua vida em cada um dos níveis, levando-o a considerar os ambientes perante os quais ele reage, os comportamentos que executa, as capacidades que lhe dão rumo de vida, as crenças que o motivam viver, a sua identidade livre de nome ou títulos e a sua espiritualidade, observando quem mais está envolvido em sua história de vida.

Esta técnica promove uma profunda reflexão, resgatando aspectos da vida que foram esquecidos ou que estão sendo mal vividos.


Você pode se inscrever para receber avisos por email de novos artigos escritos, clicando aqui.