O coelho e o ovo – por Marina Queiroz

Foto: Arquivo pessoal

Quando eu era criança, sempre fiquei confusa em relação à Pascoa:

Por que a representação simbólica é um coelho que entrega ovos?

Qual é a relação do coelho com a galinha?

Acredito que a dúvida não seja só minha, provavelmente há ainda muitas pessoas que não sabem o porquê dos ovos de chocolate serem ofertados na Páscoa.

Muito bem, a história do primeiro vem daí: o coelho representa abundância e fertilidade, por se tratar de um animal que se reproduz rapidamente e com grandes ninhadas. Como o início da reprodução dos coelhos é logo após o período de inverno e início da primavera, os mesmos representavam, aos povos antigos, a renovação da vida, especialmente aos germânicos, que possuíam uma narrativa mítica da Deusa Ostara, cujo símbolo é o coelho, e que dentre as tradições, era comum a entrega de ovos, de aves pintados, às crianças.

Mas, a simbologia do ovo não vem só daí, pois o uso dos mesmos como presente era algo bastante comum entre os povos da Europa Oriental, povos do mediterrâneo e entre os Orientais. O ovo possui também a simbologia de fertilidade, sendo assim, colorir e enfeitar ovos era um costume bastante antigo no Oriente. Os ovos de galinha, que poderiam ser cozidos ou esvaziados de clara e gema, eram pintados e representavam a fertilidade e o renascimento da vida. Por isto, os mesmos eram pintados ao final do inverno e início da primavera, que representava uma maior chance de sobrevivência.

Por este motivo, muitos ovos eram pintados com imagens que representavam algum tipo de planta ou elemento natural. Atravessando a antiguidade, o costume manteve-se entre diversos povos pagãos da Europa Oriental.

Das tradições da Europa Oriental, o hábito de presentear com ovos passaram aos demais países.

Da Rússia à Grécia, os ortodoxos costumam pintar ovos de vermelho.

Outros países no qual a tradição de pintar ovos também merece destaque são a Bulgária e a Alemanha. Na Alemanha especificamente esta tradição também é muito importante, sendo a cor verde a mais utilizada na pintura dos ovos.

Antes da tradição de se presentear com ovos de chocolate na Páscoa, os ovos com sentido de fertilidade e abundância já eram fabricados em diversos materiais, tais como ouro cravejado de pedras preciosas, porcelana, madeira e outros metais, recheados com pequenas surpresas, nos quais eram presenteados súditos preferidos dos reis.

O Czar Alexandre III encomendou com o joalheiro Fabergé um ovo de pedras e metais preciosos como presente de Páscoa para sua esposa Maria Feodorovna. Sua esposa ficou tão impressionada com o presente que o Czar nomeou Fabergé o fornecedor oficial de ovos para a corte. Os ovos tinham como característica possuir sempre uma surpresa dentro, assim como as bonecas russas "matrioskas".

Com a descoberta das Américas e o contato com o fruto do cacau e após a sua divulgação no Velho Mundo, pâtissiers franceses tiveram a ideia de rechear casca de ovos com o chocolate, que eram posteriormente pintados.

Com o avanço tecnológico no final do século XIX estes ovos foram substituídos por ovos feitos integralmente de chocolate.

Os ovos podem ser preparados com diversos tipos de chocolate, sendo eles: amargo, meio amargo, ao leite, blend (mistura de ao leite com meio amargo) e branco. Os de melhor qualidade, os considerados gourmet, possuem como gordura em sua composição a manteiga de cacau. A maioria dos ovos vendidos comercialmente em supermercados possui adição de gordura vegetal hidrogenada em sua formulação, mais barata e fácil de ser trabalhada, que reduz a qualidade (textura) e o sabor dos mesmos.

Por Marina Queiroz Tonete

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.