Vontade de declarar extinta a minha espécie, o meu eu. De largar tudo e ir para o universo que existe em minha mente, onde as coisas são mais possíveis e empáticas. O problema de ser sensível neste atual mundo é a força que o tapa da vida bate. Tudo dói, desde o racismo até ao casal terminando na esquina da minha casa. Eu sou a pessoa que comemora as aprovações no vestibular e que também chora por desconhecidos que não conseguiram alcançar esse objetivo. Eu sou quem vive junto com amigos cada experiência importante, porque a empatia é tão grande que a emoção deles é a minha também. Eu sou a que se toca com histórias de superação, e também sou a que manda mensagens pra estranhos afim de ajudar a superar dores nítidas. Eu sinto por tudo e todos. De repente é a forma que o universo achou de equilibrar as coisas.

Like what you read? Give Selene a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.