Na faculdade, me ensinaram que precisamos nos antecipar aos problemas. 
Na vida, me ensinaram que não devemos sofrer pelos problemas que ainda estão por vir.

Afinal de contas, a vida é incógnita,
o que está por vir é mistério,
por maior planejada que seja suas acões, seus pensamentos, sua rotina.

Antecipar-se aos problemas é meio que uma forma de suicídio momentãneo que pode durar, dias, meses e anos.

Mas o mercado de trabalho não está preocupado com sua sanidade mental, ou seu bem-estar ou seja lá qualquer coisa que seja para te favorecer ante ao capital.

As indústrias querem que você produza, massivamente, compulsoriamente, intermitentemente, sem nem ao menos querer saber se você tomou o seu café da manhã, que talvez seja a coisa mais prazerosa do seu dia, aquele café preto, que te faz produzir mais e mais.

Sejamos produtores.
Da nossa paz.
Nosso corpo é nosso lar. 
Nossa vida, nosso mar.

Like what you read? Give Sem Disticos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.