Game of Thrones: Kill the boy (s05e05)


Decisões importantes, decisões controversas, decisões e mais decisões. É assim que tem vivido o povo de Game of Thrones, diariamente tendo que decidir algo. Nem sempre essas decisões são acertadas ou agradam, mas seja como for, elas devem ser realizadas. E foi exatamente o que fizeram Jon Snow, Sansa e Daenarys nesse episódio. Se enganou quem achou que essa seria a temporada mais fraca, ela está desenvolvendo enredos importantíssimos para os rumos do seriado e gostem ou não foi uma aposta ousada dos produtores, pois, para isso, certas modificações foram feitas acerca do livro.


*Contém Spoilers

Todos querem o trono de ferro, mas nesse episódio, sua casa, King’s Landing, nem apareceu no mapa, pois os fatos mais marcantes estavam acontecendo no norte, na muralha e em Meereen. O inverno se aproxima e com ele os perigosos White Walkers e a guerra entre os Boltons e os Stannis, tendo em vista a dominação total do norte. Enquanto Bolton pai faz filho e conta com a ajuda de seu bastardo maluco, Stannis Baratheon conta com sua amante e agora inesperadamente ele mostra uma face mais humana. Incrivelmente, desde o episódio passado ele vem se mostrado mais lúcido, mais centrado em ações reais e até como um pai amoroso. No episódio anterior tivemos a conversa dele com sua filha e a grande demonstração de amor que ele deu ao contar sobre a difícil decisão de manter sua filha viva e a fé que ele depositou em sua melhora. Nesse episódio, ele, estrategicamente e num ato de confiança, empresta navios para Jon e os Selvagens e pede para Sam continuar estudando sobre o vidro de dragão, que é capaz de matar um white walker. Sem contar que faz questão de levar sua esposa e filha com ele para Winterfell, mesmo sendo perigoso, pois, acredita que dessa forma poderá protegê-las mais do que elas estariam se ficassem sozinhas na Muralha. Quem lembra do Stannis do começo do seriado, alucinado com o fogo, religião e Melissandre e o vê agora, percebe a nítida mudança.

Falando em amadurecimento e mudanças, esse foi o episódio para se perceber essas coisas. Sansa descobriu que Theon estava sendo serviçal de seu futuro marido, escutou um pedido forçado, mentiroso e descabido de desculpas sobre a morte de seus irmãos e aguentou tudo de forma fria, procurando não demostrar todo seu ódio e desprezo. Uma temporada como noiva de Joffrey e outra como amiguinha de Baelish lhe fez amadurecer bastante. Ainda falta bastante para ela conseguir tomar a responsabilidade para si e comandar as terras que eram de sua família, mas, com persistência e ajuda externa, que ela já viu que tem, ela será capaz. Outra que de menina virou mãe e agora uma mulher mais madura, que está começando a descobrir que precisa tomar as próprias decisões. Que conselhos, em alguns momentos, são bons, mas que uma verdadeira líder, tem que usar os conselhos apenas como base e que a decisão final deverá ser somente sua, é Danny Targaryen. Após a triste morte de Sir Barristan, ela se vê numa sinuca de bico e após uma conversa com sua amiga/serviçal, Missandei, ela resolve reabrir a arena de luta e até sugere casamento com um dos líderes da cidade. Enquanto isso, Tyrion e Jorah Mormont estão tentando chegar. Eles enfrentam uns camaradas linha dura na passagem por Valyria, o que pode e deverá custar a vida de Jorah, que foi afetado pelo ataque dos homens de pedra. É, GoT não pára de surpreender e que não pare mesmo ;)

Notinhas

– Que Daenerys tem que tomar as rédeas das situações, isso é inegável, mas casar com Hizdahr? Sério? :/

– Ramsay deve ter de ouro mesmo, pra ter alguém apaixonada por ele e ainda capaz de querer causar intrigas por conta de ciúmes, olha…

– Jon e Sam são a dupla mais fofa de todo GoT. Desculpe Podrick e Brienne;

– É muita viagem querer que Tyrion e Daenerys se casem?


Originally published at www.sempirua.com.br.