Wanderlly Moreira: “Sou artesã e foi com essa atividade que criei minhas filhas”

Wanderlly ao lado de suas criações feitas com material reciclado

Por Sara Pires

Wanderlly Moreira, 57 anos, é o que podemos chamar de “mulher de fibra e raça” . Com simplicidade, criou as filhas sozinha tendo como meio de sustento o artesanato.

Dona Wanderlly é uma amante da produção manual; trabalha há mais de 40 anos com artesanato e garante: “O artesanato foi minha sobrevivência. Através dele pude criar minhas filhas”. E criou bem! Duas delas cursam Direito e a outra Educação Física. 
 
 A vida não foi fácil, como conta dona Wanderlly. “Minhas filhas sofriam bullying por serem as filhas da artesã, da camelô”, conta a artista que mesmo assim não desistiu da profissão.

A artesã, que utiliza materiais recicláveis para a confecção de bonecas, porta-joias, peso de porta e outros, faz parte do grupo que participa das Feiras dos Artesãos, proporcionado pela Semtrad, por meio do setor de Economia Solidária. Ela se sente agradecida pelas oportunidades que tem conseguido. “É um apoio muito importante para nós artesãos. Recebemos o incentivo senhor Virgíio [diretor da Economia Solidária] e toda equipe Semtrad”, comentou a artista que não mede esforços para estar em todas as feiras.

Chegando perto da casa dos 60 anos, dona Wanderlly não para e tem o sonho de montar seu próprio estabelecimento em sua casa e de cursar Design: “Vou prestar Enem e fazer Design. Provar para as pessoas e pra mim mesma que posso”, conclui a mãe, lembrando que as duas filhas também herdaram o talento para o artesanato e já ajudam na produção de suas peças.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.