Realizando Londres (Parte 2): Parte do sonho de todo Potterhead

Antes de eu começar a falar sobre pontos turísticos e sobre o que vivenciei na terra da rainha, eu gostaria de começar este texto falando sobre os meus sentimentos sobre toda essa experiência(Como será na maioria das vezes).

Só relembrando que eu expliquei esses motivos no meu primeiro texto:

Embora eu esteja aqui para passar um tempo, eu venho tentando procurar o que posso dizer, futuramente, ser “o meu lugar”. Existem muitas variáveis quando você diz que algum lugar é o seu local, aquele que você amaria viver, ter um emprego e, talvez, constituir uma família. Muitos acham que a Europa é este lugar e acham que ficarei aqui eternamente. Não sei o que está nos planos do Universo, mas vamos aguardar os próximos meses…

Enfim, existem lugares que batem com você na hora. Sabe aquele música “O Nosso Santo Bateu”, do Matheus & Kauan? Então, tem hora que a trilha sonora é perfeita quando você chega em alguma cidade, estado ou país. Será que Londres é o meu lugar?


Eu e Naju, minha companheira nessa viagem-sonho, acordamos cedo e aproveitamos o café da manhã do hostel. Nosso segundo dia seria cheio, sendo que só tínhamos dois lugares em mente: Camden Town (Ela queria conhecer a cidade por si e a loja Cyberdog) e eu queria correr para visitar as estações de trem King’s Cross e St Pancras (A primeira é a estação onde fica localizada a Plataforma 9 ¾, onde os estudantes de Hogwarts embarcam, e a segunda é onde foi gravada a cena do Ford Anglia voador em Harry Potter e a Câmera Secreta).

Acabou que adicionamos Big Ben, London Eye e Millenium Bridge! Mas vamos por partes.

CAMDEN TOWN

Parte de Camden Lock. ❤

Só pegamos um ônibus para chegar no nosso primeiro destino do dia. Soltamos em Camden High St e fomos seguindo adiante. Camden Town, nas palavras de Naju parece uma grande 25 de Março. Adicione o conceito de steam punk, tattoos e elementos alternativos. Ao mesmo tempo, você tem a visão de lugares bem calmos e abertos, onde você parar em um ponto e aproveitar um suco de laranja natural por £ 1.

Eu e Naju em uma das cabines fotográficas em Camden Town. :D

A rua principal é cheia de lojas de roupas e artigos de moda alternativos e conta com algumas feiras livres bem parecidas com a Uruguaiana, no Rio de Janeiro, cheias de camisas promocionais e lembrancinhas. A partir do momento que você atravessa Camden Lock, você dá de cara com o Camden Market, que é um grande mercado que vende todo o tipo de arte que você imaginar e vai se estendendo até uns dois quarteirões (Talvez eu esteja errado, porque né… Humanas…). O interior parece um pequeno palácio indiano, onde você encontra cartomantes, fotografias, arte hippie, arte punk, artes plásticas, jóias naturais, brechós, máquinas de fotos instantâneas e muito mais.

Chegamos a Cyberdog, uma das mais maiores lojas que já conheci sobre moda futurista. Se você é chegado em roupas de festivais, lá é o lugar certo. São dois andares com coleções e mais coleções de vestuário e um terceiro com uma sex shop com todos os tipos de brinquedos e jogos que vocês possam imaginar.

Voltando toda a rua, paramos em ma loja e nos interessamos pelos pirulitos de maconha (E tinha mais coisa envolvendo a ervinha). Compramos e experimentamos dois dias depois…

King’s Cross Station e St Pancras Station

Sim, fomos andando de Camden até King’s Cross, onde está localizada a estação que grande parte dos Potterheads querem conhecer!

Com mais um Meal Deal no estômago, enfrentamos o calor Londrino e seguimos para um dos pontos turísticos que eu estava mais louco para ver. Infelizmente, não tirei nenhuma foto de lá, em parte porque a emoção era grande e outra porque eu odeio ficar tirando minha câmera e celular toda hora em um lugar cheio.

Perto das plataformas 9 e 10 você encontra a loja oficial da Plataforma 9 ¾ e um ponto para tirar foto, onde você finge estar atravessando a parede com o bagageiro. Sergio, você tirou foto lá? Talvez metade dos meus amigos que são fãs me matarão por isso… Mas não, não tirei. Era um fila gigantesca que estava indo para fora da estação, em um sol desgraçado… Eu não ia passar por isso e nem fazer minha amiga passar por isso, então… Só entramos na loja e fiquei feliz da vida por isso!

Falando em preços, que sei que é um assunto que bate bastante: A loja em si de libra para libra é bem em conta! Quando você faz a conversão para euro… Fica de boas, mas eu tive que me segurar um pouco. Jogando a real: Eu deixei € 30 na loja, levando um cachecol da Lufa-Lufa, uma caneta linda de morrer da Lufa-Lufa e um pin da própria loja — que fica lindo de bonito ali na minha mochila.

Obviamente, a bolsa de plástico fará parte até a décima geração da minha família.

Saindo da estação, demos de cara com St Pancras, onde foi filmada a cena que mostrei no início deste artigo.

“Tô vendo um Ford Anglia ali” — augustocsr

Ainda era tarde e não queríamos voltar para o hostel… Então, decidimos pegar um ônibus até Oxford Circus, onde visitamos a loja Primark e seus quatro andares, depois seguimos a pé até os cartões postais de Londres.

Big Ben e London Eye

Apesar de estar em reforma (e vai continuar assim até 2028), Big Ben era aquele monumento que sempre imperou na minha tela de computador. Ver ele de todas as formas, seja de dia ou de noite, fazia parte do sonho de infância. Mesmo cheio de andaimes, senti ali, mais uma vez, que eu estava em Londres de verdade e fazendo o tão sonhado intercâmbio.

Gostaria muito de subir a London Eye? Adoraria, porém toda vez que penso em pagar alguma coisa tenho que lembrar que ainda tenho um bom tempo na Irlanda e, como intercambista a longo prazo, tenho que me preocupar com aluguel, transporte, comida, etc. Mas valeu a pena estar ali perto do Rio Tâmisa (Vale uma caminhada super gostosa ao final da tarde, que eu fiz no dia seguinte) e contemplar a roda gigante que dá uma visão completa da Cidade de Londres.

Millenium Bridge

Lá vamos nós para mais um ponto turístico que tem relação com Harry Potter! A Millenium Bridge aparece em Harry Potter e o Enigma do Príncipe, quando os comensais capturam Olivaras e acabam por causar um pequeno caos.

Sempre achei a ponte linda e achei que valia uma visita, porque acho que vista sensacional, seja virada para a Catedral de São Paulo ou para o museu Tate Modern.

Não somente cena de filme, mas também cena de clipe, decidi imitar dona Taylor Swift em End Game:

Por: Naju Perrone, novamente! :D

Depois disso tudo, decidimos voltar para o hostel e descansar para o próximo dia. O roteiro seria um pouco mais curto, envolvendo Noting Hill e alguns museus. (Onde acabamos somente entrando em um! 😂)

Deitando com a cabeça fria depois de um dia bem caminhado, eu comecei a ponderar se talvez Londres fosse o meu lugar. Se talvez fosse o lugar onde eu me encontraria, onde tentaria realizar os meus sonhos… Neste momento que estou escrevendo o artigo, eu já sei a minha resposta, que eu só fiquei sabendo nos últimos dias que passei na “cidade que nunca dorme”.

Like what you read? Give Sergio Augusto a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.