Maritain e a crise na Igreja

“Que ingenuidade falar de crise na Igreja! Ela nasceu na grande crise da Sexta-Feira Santa, no Calvário, e continuará em crise até o fim do mundo.
 
 A primeira etapa da Igreja foi passada nas catacumbas e na arena dos leões. Depois vieram os bárbaros, os filósofos iluministas, os intransigentes da Revolução Francesa e, por fim, o marxismo.
 
 Como se não bastasse isso, houve a traição, o comodismo e a fraqueza de muitos de seus filhos.
 
 Mas a Igreja não é só isso. É a Igreja dos santos, dos heróis, dos mártires. É a Igreja do povo simples e bom. É a Igreja de Jesus.
 
 O mal ocupa as primeiras páginas dos jornais, enquanto o bem, com esmagadora presença, não precisa de trombetas. 
 
 A palavra final da história não será do mal, mas do bem. Será o fim da crise.”
 
 (Jacques Maritain)