Ás vezes, incredulidade sai caro

Não ria, senão vai para o inferno

Alguns clientes da Venosyd pedem para colocar “alguma coisa de geolocalização” nos aplicativos pra serem desenvolvidos.

Um dito cujo fez algo excepcional e me deixou surpreendido.

Esse em especial me pediu para exibir coisas que estivessem dentro de um raio de 1km do usuário.

Basicamente o teste consistiu em coletar coordenadas da cidade, que representariam o que o usuário deveria encontrar, e deixar uma coordenada “móvel” que seria o usuário.

Nos testes, a cada passo, o usuário se “moveria” pela cidade e o programa retornaria quais das coordenadas fixadas seriam encontradas dentro do raio de 1km.

Em cada passo, sabendo para onde o usuário seria colocado, eram esperadas, caso tudo estivesse correto, algumas coordenadas pré-programadas.

Sucesso. O teste funcionou. Mas não foi o suficiente pra convencer o tio. A solução dele foi:

Pegar o carro e sair pela cidade verificando se o sistema respondia como deveria.

Eu pensei estar desenvolvendo um software e não um sensor. E ainda acredito que gasolina é mais cara que energia elétrica.

Enfim, fica pra minha biografia.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.