Hack The City, um desafio para jovens criarem projetos de impacto positivo que virou até websérie

Participantes, voluntários, organização, muito amor numa foto só ❤

Em abril de 2017, no Nex Coworking, no Rio de Janeiro, 25 jovens de vários lugares do país se encontraram para desenvolverem ideias e construirem cidades mais criativas. Eles se divertiram juntos, viraram amigos, choraram, criaram, comeram e cantaram como se não houvesse amanhã. Tudo isso em apenas 2 dias, e com um objetivo nada pequeno: executar ideias que impactassem 500 mil pessoas.

O processo foi incrível, 5 grupos foram por 5 caminhos diferentes e chegaram em resultados inesperados. Mas não vamos entregar tudo aqui. Abaixo você pode assistir aos 8 episódios da websérie. Dá o play aí e vem reviver com a gente essas 48h que ficaram na memória.

Obviamente os episódios não mostram tuuuuuuudo que rolou no Hack (#SóQuemTavaSabe), mas dá pra sentir que foi incrível e inesquecível. E como queremos que mais Hacks rolem por aí, compartilhamos também todas a dinâmicas que utilizamos para a metodologia da imersão.

Dinâmicas que utilizamos não só para os participantes criarem ideias ousadas e criativas, mas também se divertirem ao máximo nos 3 dias de imersão. Tudo aqui pode ser replicado e/ou transformado. Usem sem moderação.

CRONOGRAMA

Essa foi a agenda do Hack The City para os 03 dias da imersão.

SEXTA-FEIRA
18h30 — Abertura das Portas
19h30 — Check In
21h30 — Happy Hour

SÁBADO
8h — Café da manhã
8h50 — Campeonato de Jokenpô
9h30 — Divisão dos grupos
10h — Definição do problema de cada grupo
13h — Almoço
15h — Brainstorming Individual
15h10 — Brainswarming
15h20 — Brainstorming Grupos
16h45 — Lanche
20h — Apresentação prévia da ideia de cada grupo
20h30 — Eu Gostei / Eu Gostaria
21h — Janta
22h — Encerramento

DOMINGO
8h — Café da manhã
9h — Entrega do Canvas da Criação para os grupos
10h — Definição das ideias
13h — Almoço
14h30 — Mais definição das ideias
16h45 — Lanche
18h30 — Apresentação Final
19h30 — Check Out
21h — Festa de Encerramento

Se for fazer um evento, tenham bandeiras. Bandeiras são legais.

DINÂMICAS

BRIEFING
Quando usar:
Antes de um trabalho criativo o briefing serve para alinhar expectativas e entregas do processo.
Como:
Um documento com informações sobre prazo, verba, objetivos e tudo que pode ser útil para que a criação saiba qual caminho seguir.
PDF do arquivo: Briefing.

CHECK IN
Quando usar:
Para a apresentação de pessoas que fazem parte de um grupo.
Como:
Dinâmica utilizada no início da imersão. Serve para que cada participante se apresente e manifeste suas expectativas. Assim é possível ver ao final a evolução, aprendizado e se o evento atingiu o objetivo individual de cada um. Sentados no formato de círculo, um participante de cada vez responde a essas 03 perguntas:

Quem sou eu?
Como eu chego aqui?
O que espero aprender?

CAMPEONATO DE JOKENPÔ
Quando usar:
Quando for necessário aumentar a energia dos participantes. 
Como:
Todos se dividem em duplas, e cada dupla disputa entre si uma partida de Pedra, Papel & Tesoura. Após acabar essa partida, o vencedor da disputa procura algum outro vencedor de outra dupla para enfrentar, enquanto aquele que perdeu tem que torcer para o vencedor de sua partida. Os perdedores sempre têm que torcer por aquele que ganhou a disputa que ele estava torcendo. Ao final, teremos apenas uma disputa, mas com metade dos participantes torcendo para cada um dos desafiantes.

Campeonato rolando.

BRAINSTORMING INDIVIDUAL
Quando usar:
Antes de um brainstorming coletivo.
Como: Antes de começar cada brainstorming em grupo, é comum o silêncio, a falta de ideias. A vergonha de sair falando uma ideia qualquer às vezes travam as pessoas. O brainstorming individual serve para que a geração de ideias em grupos comece de maneira mais produtiva e orgânica. Nele, cada pessoa, sozinha e sabendo que problema está trabalhando, pensa em ideias para solucioná-lo durante 5 minutos. Sem falar com ninguém, a pessoa anota essas ideias para si mesmo em post-its. Assim que o tempo acabar, eles colam esses post-its em alguma parede para que todos possam ver.

BRAINSWARMING
Quando usar:
No início de um brainstorming coletivo.
Como: Após o Brain Individual, os participantes têm 10 minutos para olhar as ideias de todos coladas nas paredes e pensar em novas ideias. Ao ver as ideias dos outros, os participantes têm novos insights e novos post-its são colados por eles cada vez que um tem uma ideia nova.

Resultado final do Brainswarming.

DINÂMICA FLOR DE LÓTUS
Quando usar:
Quando o grupo quiser gerar diversas possibilidades de ideias em pouco tempo.
Como: Essa é uma dinâmica para momentos em que o grupo quer ter muitas ideias em pouco tempo. Comecem escrevendo o problema que vocês estão trabalhando em um post-it e coloquem ele numa parede com bastante espaço.

Em formato brainstorming clássico, o grupo vai pensar em 8 ideias para esse problema e dispor essas ideias em 8 post-its ao redor desse primeiro com o problema, formando um quadrado com 9 post-its.

Agora repita a etapa anterior do processo, cercando cada um dos post-its de ideias com ideias secundárias, formando novos quadrados de post-its. Ou seja, cada ideia surgida no quadrado inicial, resultará em mais 8 ideias, e assim sucessivamente.

Saiba mais sobre essa dinâmica aqui.

PERGUNTAS BOAS PARA SE FAZER NUM BRAIN
Quando usar:
Quando o grupo encontra uma ideia que acha interessante.
Como: Essas são perguntas que usamos para “bombar” as ideias que temos na rotina da Shoot. São perguntas que podem despertar novos caminhos para uma ideia, questionar alguns pontos e levar ela para um novo patamar:
Como essa ideia pode ficar mais afudê?
Qual a notícia do dia seguinte?
O que os haters vão falar?
Como essa ideia pode ser mais transparente?
Como essa ideia pode ser mais aberta?
Como essa ideia pode ser mais sensível?
Como essa ideia pode ser mais colaborativa?
Quem são os responsáveis por esse problema?
Quem está falando sobre esta causa?
Quem poderia ser um parceiro?
Quem já faz algo sobre isso?
O que já foi feito antes?
Qual o conceito da ideia?
Qual causa queremos trabalhar?
Onde está o impacto positivo?
Qual o call to action?
Que plataforma podemos usar para impulsionar essa ideia?
Como fazer isso com menos?
Como usar um parceiro para fazer isso?
Como fazer isso para crianças?
Como fazer isso para idosos?
Como fazer isso de forma engraçada?
Como vai ser registrado?
Quem vai fazer isso?
Que comportamento a gente quer estimular?
Como essa ideia fica mais aleatória?
PDF do arquivo: Baralho de Perguntas.

Tivemos 5 mentores que ajudaram os participantes na cocriação. Nos intervalos para alimentação, eles tinham espaço para falar sobre seus trabalhos. Esse da foto é o Caio Andrade e você pode saber mais sobre ele neste link: http://hicaio.com

EU GOSTEI / EU GOSTARIA
Quando usar:
Essa é uma dinâmica de feedbacks em grupo. Geralmente acontece após algum grupo ou pessoa apresentar sua ideia.
Como: Nela, as pessoas do público opinam sobre uma ideia de um grupo ou pessoa utilizando duas frases. A primeira começando com “eu gostei” e a segunda começando com “eu gostaria”. Por exemplo: Eu gostei que a ação é colaborativa, com as pessoas escrevendo no adesivo, e gostaria de ver como vocês vão solucionar a questão do vandalismo, pois certamente alguém vai arrancar o adesivo”.

Para as pessoas do grupo que está apresentando, é proibido responder os comentários. É a hora de apenas ouvir. Quando não podemos responder, nosso cérebro para de ficar pensando na resposta e nossa atenção ao que está sendo dito aumenta.

CANVAS DA CRIAÇÃO
Quando usar:
Para definir todos os detalhes de uma ideia antes da sua produção.
Como: O Canvas da Criação é uma ferramenta utilizada pela Shoot The Shit durante o processo de definição de um projeto. Ela entra depois que já escolhemos uma ideia para tocar em frente e é composta por vários tópicos que devem ser respondidos para que a gente considere essa ideia “pronta para ganhar vida”. Cada grupo recebeu o Canvas para usá-lo como base na formatação de seu projeto. Essas eram as perguntas:
Nome da Ideia.
Explicação da ideia em um tweet.
Onde está o impacto positivo?
Qual a linguagem?
Qual o call to action?
Identidade visual.
Como funciona a mecânica do projeto?
Quais peças serão criadas?
Qual nossa definição de sucesso?
Previsão de custos.
Cronograma realista.
PDF do arquivo: Canvas da Criação.

CHECK OUT
Quando usar:
Para finalizar um trabalho em grupo.
Como:
Dinâmica utilizada para finalizar a imersão. É hora de todo mundo refletir sobre o processo e sobre sua evolução pessoal. Sentados no formato de círculo, um participante de cada vez responde a essas 03 perguntas:

Como eu saio daqui?
Qual meu momento mais irado?
O que aprendi?

MURAL DE CONEXÕES
Quando usar:
Para gerar maior conexão entre os participantes de algum trabalho em grupo.
Como: Espalhe fotos Polaroids dos participantes em formato círculo em algum mural ou parede e deixe barbante e post-its para que eles façam as conexões com as pessoas que eles se sentiram mais conectadas ou que tiveram algo em comum.

Mural de conexões ainda em seu começo. Quer ver como ficou no final? Chega lá no nosso Insta: instagram.com/@shoottheshitcc

Dúvidas sobre alguma dinâmica? Entre em contato: luciano@shoottheshit.cc