American Dream #6 — Como Gerir o Amor à distância?

Será que ainda acreditamos hoje, que longe da vista é longe do coração?

Talvez fosse, naquele tempo em a internet ainda era uma miragem. Hoje, longe da vista significa perto do coração, bem-haja aos Facebooks e Instagrams da vida.

Saí de Portugal com alguma pressa, entre vistos, casa e organizar a mudança o tempo para respirar foi curto. Já nos aconteceu a todos, ter de mudar algo na nossa vida rapidamente e por isso não ter tempo para dizer adeus.

Antes de me mudar não me despedi de ninguém. Não gosto de despedidas mas sabia que afastar-me fisicamente das pessoas de um lado do Oceano para me aproximar das outras, que estão do outro lado tem um custo. O custo da saudade!

Casa, para mim é onde vive a minha tribo.

Cheguei no espaço de três meses conheci mais gente do que num ano em Portugal. Não quer dizer que sejam os meus melhores amigos, mas são pessoas que têm objectivos muito semelhantes.

Tenho sorte, pois criei uma Tribo aqui em Austin que faz sentir em casa. A rede tornou-se tão grande que as solicitações para eventos, encontros e actividades diversas ocupa a minha agenda numa base diária.

Gosto da rapidez com que algumas pessoas entram e saem da nossa vida e fico sempre surpreendida com aquelas que se mantêm após anos.

Por isso aqui também me sinto em casa, pois há sempre alguém, que conhece alguém e que sabe quem nós somos. Mesmo num país com esta dimensão…

E depois há a Tribo portuguesa que é incansável e nunca me desilude. Aquele núcleo de amigas que valem mais que barras de ouro. Os contactos que querem desenvolver projectos e que não é por estarmos longe que deixam de pensar que ainda existimos.

Sim graças às novas tecnologias consigo estar mais perto dos meus dois Mundos, consigo gerir o Amor que tenho por Portugal que será sempre o meu canto favorito, à distância de uma chamada de what’s App.


Originally published at Jaqueline Silva.