Escreva. Reescreva. Repense.

O redator é aquela figura isolada, que vive para ler livros e sempre tem um tempinho livre. Aposto que você concordou, né? Mas calma, não é só você que pensa assim. De fato, o redator, na maioria das vezes, termina de escrever as peças da campanha antes do diretor de arte finalizar a sua parte. Mas a verdade é que o redator já estava pensando no job antes mesmo dele iniciar, justamente, por ter esse “tempinho livre”.

Muitas vezes, o redator já está pensando na ideia a noite, na praia, no almoço, com os amigos. E, por falar em ideia fora da agência, vale anotar em um pedaço de papel perdido dentro do carro, no bloco de notas do celular e até gravar um áudio. O importante é guardar. A ideia é aquele momento de êxtase, o ápice da vida de um redator. A mente parece não parar de pensar, tudo começa a fazer sentido a partir da ideia concebida. É um processo de gestação, sabe? Você concebe, espera a sua criação e finalmente conhece o seu rostinho. A alegria de ver seu filho gerado, é gratificante.

Muitas vezes essa ideia não é só sua. O filho não é só seu. O diretor de arte e o Diretor de Criação também participam do processo. Trocar ideias é primordial. São ideias que podem se complementar em busca da perfeição desse filho que está por vir.

Mas aí você se pergunta: como identificar essa ideia perfeita?

Até chegar nela, várias foram deixadas para trás. É! Desapegue, comece do zero, repense. Mas existe uma forma de identificá-la: quando a ideia consegue traduzir o seu conceito. É o conceito que faz tudo ter sentido. O conceito é o ponto de partida, se você encontrá-lo, a ideia surgirá. E, quando isso acontece, é lindo.

Ser redator é ser apaixonado pelo conceito. É não cansar de pensar. É se reinventar. É traduzir a necessidade no cliente no título. É entender o público. É estudar sobre o segmento. É ser emocional com um filme institucional e racional, quando for preciso vender. É pesquisar sobre tudo: saúde, negócios, mercado, alimentação, hospedagem, universidades. É, a cada campanha, viver um novo aprendizado.

Ser redator é isso: envolver as pessoas com o seu texto, produzir sensações, transmitir emoções, ser vendedor. É escrever, reescrever, repensar quantas vezes for preciso. Ser redator é apaixonante.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.