o primeiro coito

Bem, pra uma grande maioria, o sexo é uma coisa complexa e muitas vezes supervalorizada. Pra outros, é tão simples e banal como tomar um copo de água gelada em um dia quente de sol rachando sob a cabeça.

Então, a gente cria aquela visão romântica da primeira relação sexual, com a pessoa perfeita. No tempo certo. No lugar certo. E muitas vezes nada sai como planejado. E quando lhe perguntam como foi? Você disse que foi ótimo, por que bem, é a sua primeira vez e se tem algo que possa fazer sobre é no minimo, engar a si mesmo.

Eu sempre enganei a mim mesmo.

pinguins são bem legais né?

Acho que devo ter tacado pedra na cruz, por que minha vida toda foi uma causa e consequência do sexo. Seja uma gravidez inesperada. Ou um simples olhar curioso pra um pênis um colega.

Eu demorei muito pra aceitar o que aconteceu. E de certa forma eu escrevo na esperança de abrir os olhos de outras pessoas. Pra não se deixarem ser invadidas pela culpa e pelo inconsto que é viver com esse tipo de cicatriz. Uma cicatriz que ninguém assume que assola nossa sociedade.

Eu fui estuprado, pela primeira vez quando tinha por volta de 9 anos de idade. Aquilo aconteceu e no primeiro momento eu quis me matar. Uma criança de sete anos com pensamentos suicidas, não é algo tão comum assim né? Algo tão perverso aconteceu comigo e eu estava sozinho sem a quem recorrer.

Mas enfim. Acontece que deixei isso me consumir. Por anos da minha vida, isso me definiu como ser humano.

Acontece que essa não é verdade, eu sou mais do que isso. Muito mais. E você também é. Através do que tinha em mãos, livros, filmes e pessoas. Consegui encontra meu eu real.

Esse blog, não é sobre sexo. É sobre viver acima disso e tirar disso aprendizados, sentimentos e amores. E desconstruir o que as pessoas pensam sobre sexo.