Enquanto eu não entender à mim mesma, eu jamais te entenderei.

Eu precisei, antes de tudo, matar os meus fantasmas.
Eu precisei, antes de tudo, abrir os portões do meu amadurecimento e aprender a ouvir o meu próprio coração.
Eu precisei admitir, antes de tudo, que eu estava errada.
Eu precisei acalmar meu coração do medo de sempre perder e ser infeliz à todo momento.
Eu precisei, primeiro, acender o poder do meu amor.