Cidades pequenas e até capitais cancelam Carnaval por falta de recursos

A galera que prefere curtir o Carnaval em cidades pequenas vai ter menos opção neste ano. Várias prefeituras, em todos os cantos do país, decidiram cancelar as folias de Momo afirmando não ter dinheiro para promover uma das mais tradicionais festas do calendário nacional.

Ao menos 70 cidades do país já decidiram cancelar seu Carnaval por causa de falta de verbas para o evento. Os exemplos vão de capitais a pequenos municípios com forte tradição carnavalesca, como São Luiz do Paraitinga, no Vale do Paraíba, que costumava atrair milhares de jovens para o interior paulista todos os anos. Campinas, Piracicaba e São José dos Campos, todas no interior de São Paulo, também ficarão sem homenagear o rei Momo neste ano.

Em Minas Gerais, a alegria dos foliões foi cancelada em Nova Lima, Poços de Caldas, Ouro Branco e Patos de Minas. Além delas, Alpinópolist, Bom Despacho, Cássia, Cláudio, Formiga, Fortaleza de Minas e Lavras também suspenderam o Carnaval neste ano. Outras reduziram recursos para a festa como Abaeté, Arcos, Carmo da Mata, Diamantina, Iguatama, Itambé do Mato Dentro, Mariana, Moema, Ouro Preto, Passa Tempo, Prados, Santo Antônio do Rio Abaixo, São João del-Rei, Tiradentes e Visconde do Rio Branco.

Salvador, que realiza uma das maiores festas de Carnaval do país, reduziu os recursos para o rei Momo em 10%. Em Macapá e Belém, capital do Amapá e do Pará respectivamente, o Carnaval foi cancelado.

No Rio Grande do Sul, as cidades de Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Eldorado do Sul, Gravataí, Sapucaia do Sul e Viamão reduziram os recursos para o Carnaval ou ainda não haviam definido um calendário para o evento. Algumas, ainda buscavam patrocínio. Já Guaíba, Esteio, Novo Hamburgo, Passo Fundo e São Leopoldo realizarão desfiles em outras datas.

Ao menos 21 cidades do Estado do Ceará não destinarão dinheiro público para o Carnaval neste ano por causa do corte de recursos realizados pelo governo estadual. A única exceção é a capital Fortaleza. Alguns desses municípios como Santana do Acaraú, Choró, Crato, Tarrafas, Maranguape, São Luís do Curu, Jaguaribara, Crateús e Iracema, ainda buscam patrocínio privado para colocar a festa na rua. Mas outros já cancelaram a folia de Momo: Milhã, Jati, Morrinhos, Chorozinho, Independência, Pentecoste, Russas, Ibaratema, Redenção, Saboeiro, Milagres e Orós.

Nem mesmo os famosos blocos da capital carioca ficaram ilesos: 55 deles não sairão às ruas neste ano porque não conseguiram patrocínios.

Like what you read? Give soalutategarante a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.