A humanização da fraqueza

Taurus é um filme russo dirigido por Aleksandr Sokurov sobre os últimos dias de Lênin. A história, para mim, é uma tentativa de humanizar a fraqueza do líder revolucionário. A narrativa é sensível e melancólica ao retratar a debilidade do camarada chefe, assim como, o declínio do programa revolucionário iniciado em outubro de 1917.

A humanização da fraqueza é necessária porque mostra os limites físicos, mentais, políticos e sociais das quais estamos sujeitos. A fraqueza um dia foi a força revolucionária, que prometeu transformar o mundo.

Divulgação.