Viver o absurdo

Como ética e responsabilidade?

Seria possível vivenciar o fim ao mesmo tempo que se revoltamos diante a realidade?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.