Mais um sobre mudanças.

É um fato óbvio que as pessoas tem resistência à mudanças.

Ser humano é feito de hábitos, mergulhado em rotinas e atividades reconhecíveis. Raramente se aventuram no desconhecido. O ser humano é uma repetição incansável. As mesmas letras em músicas diferentes, as mesmas histórias em filmes diferentes. Os mesmos erros e acertos, ouso dizer que mais os mesmos erros que os acertos.

"Instruction" de Neil Gaiman

Ainda assim, algumas revoluções acontecem. Eu não sei qual o limite entre "se perder" e "se encontrar", acho que essas duas ideias se complementam quase que cientificamente, quase um gato de Schrödinger do crescimento pessoal. É preciso se perder por aí para ter certeza que aprendeu o caminho de casa. É preciso ter certeza de quem você não é para saber quem você é. É preciso aceitar que as mudanças virão e que mudanças destroem estruturas que a gente achava impossíveis de serem destruídas. Como uma onda que transforma aquele castelo de areia que você gastou muito tempo construindo em uma figura amorfa. Ainda é a mesma areia, mas você não reconhece como seu castelo. Muitas vezes isso é assustador.

Despedida do 11o. Doctor ❤

Eu não tenho mais medo de mudanças como eu tinha antes. Eu não me assusto facilmente com a possibilidade de ser destruída, de retornar a um estado de espírito sem forma. Como eu disse, assustador. Mas é necessário, é uma questão de coragem. Coragem é ter medo de fazer do mesmo jeito. É preciso coragem para confiar que o conteúdo é o mesmo, só que um pouco mais que antes, e que só precisa ser rearranjado de uma nova maneira. Mesmo que te digam o contrário e mesmo que questionem suas mudanças.

"The Last Tycoon" de F. Scott Fitzgerald.

Eu amei pelos motivos errados e isso me mudou. Eu amei pelos motivos certos e isso me mudou também. Hoje, é necessário uma emboscada bem maior para que eu caia de amores por alguém. Essa é uma consequência ao mesmo tempo boa e ruim, se você pensar bem. Meu coração hoje é terra que ninguém pisa.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.