Pro: Direct || Mais do que uma loja, uma experiência única ||

“Pro: Direct” Store (London)

Apresento-vos o caso da Pro: Direct, uma marca inglesa de artigos de desporto que, outrora apenas digital, se converteu em loja física…mas atenção, pois esta não se trata de uma loja qualquer! Localizada em plena cidade londrina, a loja da Pro: Direct é detentora de um conceito atrativo, diferenciador e altamente tecnológico. Neste local, as paredes têm ecrãs digitais e quadrados magnéticos coloridos que permitem a constante mutação do espaço em termos estéticos.

A loja é bastante interativa e o seu design é alterado de hora em hora, através de programação automática ou manual, gerida pelo staff da empresa a partir de um IPAD. Este procedimento permite uma modificação constante e total do aspecto visual da loja, a reposição imediata dos produtos expostos, a demonstração e compra dos mesmos de modo cómodo e apelativo, etc.

Através de um ecrã, o consumidor pode selecionar artigos em alta resolução (HD) e concluir, de imediato, se estes lhes servem ou não.

A Pro: Direct aposta ainda no atendimento personalizado, sendo que cada cliente tem direito à dedicação total de um único funcionário, capaz de o acompanhar durante todo o processo em loja: desde a procura do produto à sua experimentação e eventual aquisição.

Outra questão interessante é a de que o design da loja está sempre alinhado com as respetivas redes sociais (em termos de cores, de destaque de produtos…).

Toda esta inovação concretizada em torno da loja da Pro: Direct acarreta consigo implicações práticas positivas para ambos os lados (empresa e consumidor). Um dos aspetos que favorece a empresa e agrada o consumidor reside no facto da loja evitar a presença física de uma vasta quantidade de calçado, de cores e tamanhos diversos, em caixas inestéticas a ocuparem espaço desnecessário. Graças à vertente digital da loja, a Pro: Direct usufrui de uma organização exemplar e de um ambiente futurista, harmonioso, surpreendente e tudo menos monótono.

Agora, adaptando esta inovação ao teatro: já pensaram na comodidade e nas potencialidades possíveis caso os cenários de uma peça fossem todos alterados digitalmente, somente através de um clique, originando cores diferentes, variados objectos, ambientes diversos e sempre com dimensões realistas?