Poesia sem rima, sem métrica e com amor

É engraçado pensar

Nas mil vezes que me convidou pra ver um filme

Mesmo sabendo que eu ia dormir abraçada nesse corpo teu

Cheio de calor

É engraçado pensar

Que das mil vezes que me convidou e dormi

Senti uma paz interior

Era culpa do amor

É engraçado pensar

Que agora, tão longe de ti

Não durmo

Passo a madrugada acordada

Vendo todos os filmes

Que deixei de ver ali

É engraçado pensar

Que tudo isso é culpa do amor

Não quero ver filme de madrugada

Não durmo porque não tem calor

Não durmo porque não tem quem abraçar

Não durmo porque não disse eu te amo

Eu já disse que te amo?

Acho que sim

É engraçado pensar

Que eu vou fazer poesia e talvez te fazer chorar

Sendo que o que eu queria, era fazer sorrir

É engraçado pensar

Que pensar não anda me fazendo rir

Então não é engraçado

É triste, mas bonito

Saber que tive esse tempo lindo dentro de ti

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.