A aposentadoria dos Inquisidores

Agora mesmo as 14:04, alguns minutos atrás foi explodida a “Mãe de Todas as Bombas”. Com a morte de um militar americano na província de Naghahar os Protetores do Mundo Livre descobriram que ali ficava um grande complexo de túneis, imagine quase um formigueiro, e resolveram por via das dúvidas derrubar a M.O.A.B(Massive Ordinance Air-blast Bomb) que é ridiculamente poderosa, 10.3 mil quilos e consegue ter um raio de explosão equivalente a 11 toneladas de TNT, é foi um show de pirotecnia que o Lula iria gostar(seria digno para o homem mais correto e sancto de Terra Brasiliencis)

Desde o bombardeio de Assad até o bombardeio dessa base o que se diz nos dois não é simplesmente “Atacamos por motivos tais e tais” mas sempre é uma mensagem.

Nós estamos aqui, não vamos deixar vocês passarem debaixo do nosso ariz.”

Tudo feito pela atual administração yankee não passa nada além dessa mensagem. Para Assad, mesmo que tenha sido infundado e feito de maneira tão jocosa o laudo que apontou o uso de armas químicas, simplesmente era pra mandar essa mensagem.
Todos os próximos ataques, invasões e guerras que serão feitas vão simplesmente fechar assuntos antigos, não vejo razão para, além do caso da Síria, elas escalarem.

São assuntos simples que o Complexo Industrial-Militar americano não vai deixar quieto, tanto que não citei esses dois atos como algo feito por Trump: São interesses que estão cozinhando desde Obama.
O mesmo não é um santo, pacifista, ele simplesmente deixou a panela em fogo baixo e com tampa, bombardeou dezenas de soldados, cidades e alvos estratégicos com drones. Sem ninguém perceber ele começou a cozinhar, o que mudou não é o prato somente, o chef que segue a mesma receita escrita pelo “Deep State” a diferença é que Trump está postando a foto da panela em mídias sociais e mandando para mídia que duvidava, mesmo sabendo, do que estava sendo cozinhado.

Esse é o serviço que essa administração vê para os EUA, de mesmo modo que via a Europa seu serviço para o mundo, no século XX e XIX, respectivamente o bastião do liberalismo e bastião da civilidade.
São idéias, utopias que esses países levantam e usam como estandarte, um motivo que os mantém rodando.

A desilusão dos “trumpistas” é uma desilução que eu tive com ele. Sim se esperava que os EUA tomassem a rédia pré Grande Guerra, que fosse o país da paz e para paz, que observando o mundo de hoje e as lições de história: somente usasse seu porrete quando necessário.
Não há mais a necessidade da polícia do mundo, os EUA funcionaram bem durante a Guerra Fria com esse papel mas agora com a multipolaridade, “pluridealismo” e até anti-idealismo não há mais a demanda desse papel.

Todo mundo tem o seu período de aposentadoria e se você acha tarde se aposentar pelos 65 anos, a Águia da Liberdade trabalha a quase 100.
A mesma serviu bem seu papel quando o mundo estava em grande tensão, mas agora é hora de parar. Porque assim como a Grã-Bretanha: Todo mundo tem seu período de aposentadoria, é uma dialética da história. A “coroa de quem tem mais poder que o outro” muda de cabeça e mesmo que você cole na sua com super-bonder, ela vai sair.
Um exemplo disso é que nem mais o americano quer isso. O único porquê é evitar que o sistema autocrata pseudo-republicano russo se espalhe pelo mundo, fora isso, apaziguando os interesses geopolíticos dos dois: Não há mais porque dessa instituição.

Fora que, estamos passando pelo processo aonde o poder, o bélico, não tem mais o mesmo valor que antes. Vai levar tempo para refletir que a dialética de poder não é mais tão importante, descobrimos que idéias eram armas efetivamente na Grande Guerra quando Whillem II autorizou a passagem de Lenin pela Alemanha.
Assim também teremos o momento aonde o capital tentará reinar, como o poder bélico tentou e descobriremos que o mesmo em extremo não tem nenhum valor, não tem nenhum uso.
Para que os zilhões de dólares, toneladas de ouro, se o motivo é fútil, se os interesses pessoais que persuadem e dão poder ao mesmo são passageiros? Assim se aplica para zilhões de soldados marchando sem um ideal, sem um motivo.

A polícia dos mundos, seja do socialista ou capitalista, não tem mais razão de existir. Ela será no futuro vista como a inquisição: uma maneira violenta de impor um sistema econômico, religioso antropocêntrico/ideológico.
E hoje passará pelos mesmos processos que os soldados passaram nas ultimas guerras religiosas, vão marchar sem sentido, vão ter a melhor arma, o melhor equipamento, a maior M.O.A.B mas ainda faltará um motivo para atirar, para vestir o uniforme, para ativar o lançamento.