Xampus, sabonetes e as dificuldades de ser homem hétero

Algumas semanas atrás uma conhecida usou seu facebook para fazer uma pergunta retórica: “é confortável ser homem, né meninos?”. A maioria dos rapazes concordou. No entanto alguns passaram batido pela ironia e se queixaram das dificuldades que encaravam. Nas palavras da internet, “sempre tem um homem”.

O questionamento é antigo. É mais fácil ser homem ou mulher? Intrigada, dei início à pesquisa.

Ó oráculo, respondei.

De acordo com as respostas que encontrei, ser homem é dificílimo. Cada amanhecer traz consigo um rol quase infinito de desafios, pequenas torturas, frustrações inenarráveis e preocupações.

Trocadilho mas não engraçado.

Ao longo das minhas leituras percebi algo interessante: todas as dificuldades parecem estar ligadas ao convívio com mulheres e ao pavor de ser confundido com um homossexual.

Me chama de assassino mas não me chama de gay, garota.

Esses dois fatores estão diretamente ligados e parecem reger o universo hétero masculino. Se o pobre rapaz é confundido com um homossexual, como será capaz de cumprir seu único objetivo de vida, o de atrair mulheres? Como se isso já não fosse difícil o bastante, só faltava passar por gay.

O caminho para a conquista de uma mulher é árduo e tortuoso.

Não é paquera, é guerrilha.

Mulheres são terríveis. Elas destroem tudo que os homens constroem a duras penas, são emocionalmente instáveis, indecisas, enroladas, reclamam de tudo, paranoicas, desconfiadas e ciumentas patológicas.

Em suma, mulheres são loucas.

Difícil é ler esse texto, parça.

Uma grande dificuldade parece ser assimilar o conceito de que mulheres são seres humanos e não um combinado de partes de corpo com funções exclusivamente sexuais.

Secretárias Safadinhas do Anal 4, esse clássico.

Aparentemente um imenso obstáculo na rotina masculina é não ceder ao hábito de assediar mulheres. Afinal, muitas mulheres provocam mocinhos inocentes com suas saias curtas e seus umbigos à mostra. Todos os dias elas atiçam os homens, atrapalhando o cumprimento das tarefas mais mundanas.

Enquanto você se preocupa em perder seu emprego por engravidar, seu parceiro trava uma luta interna para não apalpar desconhecidas no metrô.

Alguém precisa procurar “suplício” no dicionário.

Moço, ainda dá tempo de incluir “ouvir esse tipo de abobrinha” na lista de sofrimentos típicos femininos? Acho que dá, hein.

Eu assobio, tu assobias, ela assobia, nós assobiamos.

Não são tempos fáceis quando não somente o direito ao assédio é ameaçado como ainda por cima o Homem Contemporâneo™ passa a ser assediado por homossexuais.

O século 21 veio mesmo para destruir a heterossexualidade.

Arrasou, miga!

Pensando nas complexidades da necessidade de reforçar a masculinidade constantemente, os publicitários resolveram ajudar.

Uma busca rápida no Google por “cosméticos + masculinos” resulta em uma explosão de cinza, preto, embalagens neutras com fontes simples e clássicas, aço, chumbo, frescor (mas não muito) e força. Sempre muita força.

Previne rugas e homossexualidade!!

Ao contrário dos cosméticos femininos, que parecem ser figurantes de um episódio dos “Ursinhos Carinhosos”.

Se for homem melhor nem olhar diretamente para essas imagens.
HULK LAVA CABELO
HULK ESMAGA ROSINHA

A equipe publicitária da marca Dove, parte da gigante Unilever, depois do que assumo tenha sido horas e horas de pesquisa de mercado, identificou uma demanda: xampus exclusivos para homens. Pensem vocês que até pouco tempo moços eram obrigados a usar o mesmo xampu que… Mulheres. Infâmia!

Além de cumprir a sua função básica de limpeza, o produto preserva o consumidor da humilhação de usar um artigo feminino.

Não dá para colocar um preço nisso mas os grandes pensadores da Dove julgaram justo cobrar 9,85 reais .

Com Dove Men Care você nunca correrá o risco de ser confundido com uma mulher!

Mas às vezes você é um Homem tão Másculo e Viril que até aço é delicado demais para você e o simples fato de ser visto comprando xampu é vergonhoso demais. Fique tranquilo! A OX men te poupa deste ultraje e criou essa maravilha:

Antes passar por alcoólatra do que afeminado, né mores?
Não sei o que dizer, só sentir.

Encerro com uma observação: se a maior dureza da vida de vocês é não ser acusado de se comportar como uma mulher (“afeminado”), imaginem a dureza de ser mulher.

Se sua maior preocupação quando você sai para comprar sabonete é manter sua masculinidade intacta (o que quer que isso signifique), você tem uma vida confortável. Quando nós mulheres saímos para comprar sabonete nós preocupamos em nos manter intactas, a salvo de assédio e estupro.

Portanto a resposta para a pergunta da minha conhecida é: “sim. É muito confortável ser homem”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.