AS COISAS MAIS BONITAS NÃO FICAM NA ESTANTE DA SALA

Você pensa que é uma caixinha cinza esquecida no canto do quarto menos importante de um palácio com oitenta e oito cômodos.
Mas a verdade é que a caixinha é de prata.
A verdade é que quem te guardou, pensou por dias seguidos qual seria o quarto mais seguro pra te deixar.
A verdade é que você não é a caixinha.
Você é o que tem dentro.
Guardado a chaves, no fundo de uma gaveta, o poema preferido da rainha.
Num papel amarelado, escrito por um rapaz que ela nunca conseguiu esquecer.
Mais bem guardado que os anéis. Que os colares. Que os brincos de diamante. Mais querido que o próprio rei, ainda que ele nem desconfie.
Você é a parte mais preciosa da casa, mesmo que quase ninguém saiba disso.
É porque poesia nunca foi a coisa mais popular do mundo. Mas é aí que mora a beleza.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.