Vinicius já dizia

Aqui, coisas que eu tentei falar quando ninguém mais pareceu querer ouvir. – – ou, coisas que eu tentei falar, mas não consegui…

Há pouco mais de um ano, comecei a cuidar da minha saúde mental e, quando finalmente procurei ajuda, eu já achava que estava chegando ao meu limite. Não queria mais viver, mas também não queria morrer.

Com tudo que me importava pertinho, sempre me sentia mais distante. Quando pensava em futuro, só sentia medo. Parei de pensar muito além do que de fato eu vivia simplesmente porque eu já não estava esperando mais nada. Apesar de nunca ter desistido.

Desde a infância, sempre fui uma pessoa sensível e emotiva, mas os choros desesperados passaram a fazer parte do meu dia a dia. E isso parou de ser considerado por mim uma característica. Era mais um estado mesmo. Era como se eu tivesse parado no tempo, enquanto tudo ao redor continuasse seguindo.

Eu simplesmente tinha perdido o controle sobre mim. E, num poço escuro e sentindo a maior solidão que eu já havia sentido, busquei ajuda.

Na primeira sessão de terapia, aquela complicadíssima simples pergunta: o que você quer? E aquela sincera e dolorosa resposta: ser feliz.

Vinicius já dizia:

É melhor ser alegre do que ser triste, alegria é a melhor coisa que existe.

E foi assim que tudo começou.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.