Eu Quero Acreditar

Sou uma menina bem sonhadora. Minha mente vive nas nuvens, e as vezes acredito em Papai Noel. Mas sabe quando bate um bum, a vida te da um tapa e você tem que aceitar que está sozinho? Que o Robin Hood não vai aparecer pra me ajudar a realizar meu sonho ou pagar minha faculdade. Simplesmente nenhuma fada madrinha vai aparecer pra me ajudar. Eu simplesmente não vou ganhar na mega-sena (até porque nem jogo). Mas por algum motivo eu ainda acreditava que seria premiada aleatoriamente na vida e seria a escolhida para ser presenteada grandemente.

Mas isso não irá acontecer e eu finalmente aceitei esse fato. Não nasci em uma família rica, isso significa que terei que ralar pra conseguir o que quero, ralar mesmo, suar, chorar todos os dias em um emprego que ira sugar toda minha energia. E eu gosto da área artística, que é uma área bem precária em questão de conseguir sobreviver e pagar as contas. Mas eu aceitei esse fato também, mentira, aceitei que preciso fazer algo bom, algo que encante, algo que renove, mude, mobilize, e algo que me de sustento pra pagar minhas contar, afinal, preciso ter uma casinha né.

Então ando respirando fundo, e falando todos os dias pra mim: Vai com calma, e claro chorando muito antes de dormir, com medo, e me sentindo sozinha, querendo acreditar, que vou conseguir, que vou chegar lá, que vou conseguir ter meu próprio sustento, que não vai ser fácil nem rápido, mas que eu espero que valha a pena, na verdade acredito que vai valer.

Melhor ir com medo mesmo, do que nunca sentir o gosto de ousar ser quem você é.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Carol Carvalho’s story.