Faz 20 dias do término. Eu só sei os dias por que acabou no dia 01/06/2017. Daí quando havia me esquecido lembrei da data e comecei a contar. Sim, acendi vela para nossa senhora do desterro tirar você da minha cabeça e do meu coração. Faz 20 dias sem você, uns 15 sem instagram. Entrei ontem para apagar uma série de fotos minhas. Não posto mais no facebook, só duas coisas de trabalho que me orgulharam e muito. Fazem 4 dias de uma dieta que coloca toda a minha saúde cagada no lugar. Sim, cheguei em um ponto frágil do meu próprio corpo. Ele estranha. Dói a mandíbula, doem os ombros, muda o hálito. Ele responde a falta de alimentos gordurosos e inflamatórios. O emocional junta a fome, o término de namoro, o medo do emprego novo e o medo do novo em uma coisa só. Ele me deprime. Tento reagir. Escrevo. Escrevo por mim antes de qualquer coisa. Tem uma cena no filme Elis, bem mais para o final, onde ela fala para o Lenny Dale: “chega essa hora da noite me dá uma angustia”. Me sinto assim, com a mesma angústia dela. Me sinto Amy Winehouse em Back to black. Canto Não vale a Pena, gravada pela Maria Rita em seu primeiro CD, dia sim e dia não. Tá tudo mudando. Muito rápido. Como filho de Oxum nesse momento fico carente quero colo. O colo que você não soube me dar direito por todos esses anos. O colo afetuoso que cuida e protege. Tive o colo de amigo que orienta e devolve para o mundo. Às vezes queria que você saísse com prejuízo disso tudo, pois os danos todos parecem que ficaram comigo. Mas respiro e penso que sou uma pessoa elegante e evoluída. Não me vingaria. Para manter a minha dignidade e os meus princípios. E também para te esquecer. A relação foi sofrida demais para os dois. Vivemos em uma guerra. De um lado o egoísmo do outro a falta de auto estima. Um esfregando o egoísmo e os defeitos do outro na cara e o segundo acabando aos poucos com a auto estima do parceiro. Um atacava de forma esterica o outro se defendia amassando como bola de papel a auto estima e os sonhos do companheiro. Você me amou. Há um tempo atras. Atualmente era um protocolo. Auto estima é difícil de se recuperar, trauma é possível reverter é mais rápido. Te odeio. Te amo. É ambíguo. É tóxico. Que bom que acabou. Eu vou pra vai vai sambar pra esquecer você. Eu vou pro vai vai sambar pra aceitar a fome. Eu vou pro vai vai cantar pra espantar essa tristeza. Estava tocando “ A luta Vai-Vai” e lembrei da minha escola. Agora toca Mallu Magalhães “ eu guardo as minhas cicatrizes, mantenho minhas diretrizes”. Estou chegando ao trabalho. O dia está cinza. Queria céu azul com sol e frio, assim como acontece em Buenos Aires.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated encarnado’s story.