A Musicoin fez a comunicação de abertura no MaMA Music Festival 2018 em Paris e apresentou a sua aplicação móvel

PARA PUBLICAÇÃO IMEDIATA — 7 DE NOVEMBRO, 2018 HONG KONG

De 16 a 18 de Outubro passado, alguns destacados membros da equipa global do projeto Musicoin estiveram em Paris para o MaMA Music Festival 2018, onde apresentaram a primeira plataforma de streaming de música baseada em blockchain, revelaram a muito antecipada aplicação móvel, e fizeram a comunicação de abertura, falaram com músicos e restantes participantes, e igualmente com a imprensa, curiosa com o potencial da Musicoin para alterar o panorama da indústria musical.

Este festival, que tem atraído líderes, inovadores e artistas emergentes nos últimos 18 anos, foi um palco ideal para a Musicoin, que tem no seu catálogo músicas de mais de 5,000 músicos independentes de todo o mundo. Ao dispensar intermediários (que consumiram 88% das receitas da indústria em 2017), a plataforma atribui aos artistas 100% das royalties do streaming de forma direta e instantânea — com pagamentos que garantidamente excedem todas as plataformas líderes de mercado, incluindo Apple Music, Spotify, e YouTube. Para os ouvintes, representa a oportunidade de apoiar uma economia musical criativamente sustentável — sabendo que por cada um dos plays o artista é justamente remunerado. Sem publicidade e sem subscrição, a Musicoin também elimina pop-ups e interrupções constantes na experiência de utilização.

“Nós queremos trazer transparência para todo o sistema,” disse Isaac Mao, o fundador e arquiteto chefe da Musicoin a Innocentia Agbe numa entrevista à Frenchweb. “Eu acho que a indústria da blockchain tem à sua volta muitos mitos e promessas excessivas. Nós tentamos colocar o nosso princípio primeiro, que é servir os músicos e os que os escutam.” Lançado sem recurso a uma ICO, Isaac Mao sublinhou que o objetivo da Musicoin não é a de perseguir “dinheiro rápido”. “ Nós acreditamos que a blockchain tem vantagens por trazer eficiência e um novo modelo de pensamento que remove os problemas que destroem a criatividade”.

Após horas sem fim de comunicação online e conferências telefónicas, alguns membros-chave da equipa global da Musicoin foram convidados para ir a Paris e celebrar este marco importante. Vieram desde Hong Kong a Los Angeles, incluindo o Pascal Guyon, nomeado três vezes para Grammy e embaixador da Musicoin que partilhou a sua experiência como músico que usa a plataforma na sua comunicação de abertura. Ele demonstrou igualmente como conseguiu integrar a blockchain open-source da Musicoin para fazer stream de música num jogo educacional que ele criou. A Pamela Hute — artista francesa, fundadora da editora My Dear Records, e diretora de comunicação da Musicoin — sublinhou, “Este é um marco muito importante para nós. Apresentamos a nossa filosofia ao público presente e profissionais da indústria, recebemos muitas questões, tanto de artistas como de ouvintes — algumas simples, outras muito técnicas. A Musicoin foi o único projeto de blockchain que fez uma comunicação de abertura, o que demonstra não só a confiança da organização do MaMA mas também que somos percebidos como verdadeiramente disruptivos e diferentes”.

Isaac Mao acredita que ainda agora começamos a entender todo o potencial da blockchain. “A blockchain não é perfeita. Precisamos de mais desenvolvimento de tecnologia de nível superior, enquadramento ético, e também tentar incluir a comunidade para desenvolver a tecnologia tal como fizemos para a própria internet. No seu início ninguém conhecia todo o seu potencial”, disse Isaac Mao à Frenchweb. “Estamos numa fase muito interessante onde conseguimos ver como é que todo este interesse vai ser estreitado e como as componentes úteis ficarão e serão eventualmente desenvolvidas em tecnologia vertical verdadeiramente útil”.

###

Musicoin (MUSIC) é uma criptomoeda inteligente e uma plataforma de streaming assente na blockchain da Musicoin. Encorajamos músicos e ouvintes em todo o mundo a visitar o site oficial da musicoin em musicoin.org.

Versão traduzida do original, em Inglês, aqui.