Pequeno coração frio

Era como se estivesse submersa em um mar espesso de raiva e solidão. A dor me comia as entranhas, por muito não conseguia respirar, sufocava em meus próprios pensamentos. Tentar me desvencilhar era doloroso demais, as ondas batiam nas costelas e me quebravam os ossos já fragilizados. Meu coração inutilizado, por pouco não batia, eu senti que o fim estava próximo.

Sem apoio e sem carinho, essa foi uma luta solitária mas posso dizer hoje que venci. E agora, que respiro o ar puro da superfície, finalmente conto a minha história.

Não é por que você nunca me deixava só, que eu não me sentia sozinha. As redes sociais abarrotadas de suas mensagens, nunca fizeram companhia. As cartas indesejadas nunca me trouxeram alegria. Suas ligações nunca me acalentaram. Suas palavras eram como arame farpado, e me machucaram mais vezes do que consigo contar.

A solidão de estar sempre acompanhada, sempre vigiada e constantemente analisada é a pior de todas. Você tirou a minha paz e a minha segurança dos lugares nos quais deveria me sentir segura. Ainda hoje me pego pensando em você, quando tudo o que eu queria era pensar em mim. Não é culpa sua, apenas nunca aprendi a me colocar em primeiro lugar.

Todas as vezes que tinha de ouvir o quanto eu te fazia mal, que era a pior pessoa do mundo, falsa, fria e egoísta. Eu sangrei, com seus jogos e tortura psicológica, me perdi de mim mesma.

Me fez acreditar que ser vigiada 24/7 era normal, que envolver minha família te fazia um bom rapaz, que aparecer na porta da faculdade de surpresa demonstraria o seu amor. Esse pode ter sido o seu amor mas nunca foi o meu.

Não existem memórias boas, as poucas que haviam foram manchadas pela dor. E eu, com tão pouca experiência no amor, ainda não sei como é ter algo bom. Abri mão de mim pelos outros, mas isso não me faz um mártir, faz-me estúpida.

Em meu coração, nesse coraçãozinho frio eu posso viver ou morrer, sem culpa, sem vergonha, sem mais tragédias, mas por mais que eu tente, não posso apagar essas feridas. Recém-cicatrizadas, elas sempre estarão aqui para me lembrar de quanto é importante lutar por si mesmo.

Agora enfim, pela vista da superfície e longe de ti e de toda a tua loucura, eu vejo que não basta acreditar em algo para torná-lo real, ou teu. Você buscou acreditar que se insistisse o suficiente, me teria de volta, e esse foi seu erro, nunca fui tua, mas eu também errei, achei que se acreditasse o suficiente que isso teria um final feliz, assim seria.

Mas foi eu que tive que fazer o meu final feliz. E apesar de toda essa dor, hoje que sei quem eu sou. Você algum dia será capaz de dizer isso?

Talvez eu possa ser forte desta vez, mas desde que me conheço, provavelmente estou errado. Talvez eu possa ir longe desta vez, mas pensando bem em onde estive, isto não está me ajudando a começar.

*Trechos de Cold Little Heart — Michael Kiwanuka