Artista grafita 50 casas e cria obra gigante para homenagear catadores

Os moradores de Manshiyat Naser, no Cairo, sofrem com a discriminação por trabalharem catando lixo. Como em muitas partes do mundo, essas pessoas passam despercebida por puro preconceito. Foi para contrariar essa exclusão e chamar a atenção das pessoas que o artista franco-tunisiano eL Seed criou uma obra de arte a céu aberto no meio da comunidade.

Foto: Reprodução.

Além de linda, a iniciativa tem atraído os olhares da imprensa internacional para o lugar. eL Seed pintou 50 casas da comunidade e fez um mural formando a frase: “Se alguém quiser ver a luz do Sol com clareza, precisa esfregar os olhos antes”.

“A comunidade recolhe o lixo da cidade por décadas e desenvolveu o sistema de reciclagem mais eficiente e altamente rentável em um nível global. Ainda assim, o lugar é percebido como sujo, marginalizado e segregado”, explica o artista no seu site. Manshiyat Naser fica no pé de uma montanha, e na comunidade as pessoas fazem coleta seletiva como forma de sobrevivência.

Chamada “Percepção”, a obra de eL Seed começou a ser feita em 2015 e ficou pronta no mês passado. Para criá-la, ele usou uma técnica chamada caligrafite, em que une grafite e caligrafia, nas cores azul, branco e amarelo.

Essa não é primeira vez que eL Seed pinta uma obra em comunidades. Aqui no Brasil também existe um trabalho do artista, no morro do Vidigal, no Rio de Janeiro. Acompanhe o Instagram dele aqui.