Tubos de creme dental reciclados viram material para construção civil

Os tubos de creme dental são recicláveis. Sua composição é 75% plástico e 25% alumínio, mas o problema é separar esses dois componentes. Em resposta ao desafio, recicladoras especializadas vem desenvolvendo técnicas de reciclagem para esse tipo de resíduo e transformado o material em telhas e placas ecológicas que viram móveis, vasos e paredes, por exemplo.

Foto: Reprodução

Uma das empresas que reciclam as embalagens é a Ecotop, de Barueri (SP). Desde 2003, ela utiliza matéria-prima obtida do resíduo industrial: sobras, aparas e tubos defeituosos descartados pelo controle de qualidade das indústrias. O volume reciclado chega a 30 toneladas a cada mês. “A perda na fabricação dos tubos é enorme e evitamos que o material vire lixo”, comenta Ana Paula Zatz Correia, consultora da empresa.

Para que sejam reciclados, os tubos vazios são triturados em um moinho. Depois, seus pedaços são prensados e misturados a uma resina especial. A resina seca e o material assume sua forma final, que pode ser de telha ou placa. O carro-chefe da Ecotop são as telhas. O material é leve, resistente e menos inflamável do que o das telhas tradicionais. O isolamento térmico também é superior e elas são 100% recicláveis. Hoje, são vendidas e 40 lojas em todo país. Confira aqui.

A iniciativa é de Claudia Rozansky, empresária que trouxe a tecnologia ao Brasil. Foram feitos testes com diversos materiais até a empresa chegar à conclusão de que as sobras de tubos eram a melhor opção. “As especificações do tubo de creme dental o torna excelente para ser reaproveitado, fazendo com que o produto final seja mais resistente e praticamente inquebrável”, diz Claudia.

As placas e telhas são fabricados utilizando o processo chamado de termoformagem, que consiste em moldar chapas plásticas usando calor e pressão. Além disso, na Ecotop, tudo é reaproveitado: as rebarbas das telhas, das placas e até o pó gerado no corte dos produtos. Toda sobra volta para a máquina de prensa e é transformada em novas telhas e placas ecológicas. Usando as placas, é possível construir desde armários até casinhas de cachorro e banheiros químicos.

RESÍDUO DOMÉSTICO

Já na recicladora Ecofour, 10% dos tubos usados para fabricar placas ecológicas que viram móveis, vasos e outros produtos vem do resíduo domiciliar. Há três meses, a empresa recebe tubos coletados pelo Programa Nacional Reciclagem Saúde Bucal Colgate, que permite encaminhá-los via Correios sem custo para que sejam transformados em matéria-prima. “Já reciclamos oito toneladas de tubos que virariam lixo doméstico”, afirma Elvis Lopes, técnico de meio ambiente da empresa.

O Programa Nacional Reciclagem Saúde Bucal Colgate existe desde 20012 e já encaminhou 1,7 milhões de unidades de tubos de creme dental e escovas usadas para reaproveitamento. “Os tubos viram placa ecológica e as escovas são transformadas em material granulado que serve de matéria-prima para pás e lixeiras”, conta Mônica Pirrongelli, responsável pelo desenvolvimento de novos negócios na TerraCycle, empresa gestora do programa.

Segundo ela, mais de um milhão de pessoas em todo o Brasil participam hoje do programa, que gera uma pontuação por quantidade de tubos encaminhados, posteriormente convertida em doações em dinheiro para instituições de caridade. Para coletar e encaminhar os tubos é preciso se cadastrar no site.

“Trabalhamos com um modelo que coloca o consumidor no papel da coleta a fim de gerar mobilização”. Cada tubo encaminhado gera um crédito de dois centavos de real. A Sociedade Benfeitora de Jaguaré, na zona oeste de São Paulo, é um exemplo de instituição que se engajou na mobilização e construiu uma rede de 600 doadores. Por lá, a coleta de mais de 370.000 tubos já gerou uma arrecadação de R$ 4.900 para os projetos da instituição.

Na cidade de São Paulo, o serviço de coleta seletiva também recebe os tubos de pasta de dente que são triados e prensados junto com outros materiais plásticos para serem transformados em matéria-prima de menor impacto ambiental. Basta separar os tubos vazios e acomodá-los junto aos demais recicláveis, entregado tudo limpo e seco no dia e horário previsto para o serviço na sua região.