Webdesign mal explicado

Tenho vontade de montar um mini-curso pra explicar às pessoas que querem ter um site, que isso é igual a fazer querer fazer um bolo ou construir uma casa: depois de prontos, só se muda o sabor, recheio ou organização e re-disposição de paredes quebrando e fazendo do zero com matéria-prima nova.

Até pra trocar cobertura ou telhado sobram defeitos.

Passei por mais um caso clássico de quem quer “trocar uns textos” e lista todas as demandas que são “readequar”, “reorganizar”, “reavaliar”. Na lista não havia UMA demanda de trocar “isso” por “aquilo”.

Claro que ninguém quer perder oportunidade de prestar serviço, mas há muitos que não explicitam claramente que as etapas são lineares e, após a execução da montagem, não se volta sem cobrar novo pagamento e fazer novo planejamento.

Em vez de tudo isso, a ideia que está na cultura de “webdesign” é que site é fácil porque dá pra alterar facilmente em se comparando com peças impressas que não são alteráveis, só reimprimíveis.

Like what you read? Give Stanley Calderelli a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.