O marketing e a escolha do futuro

Como tomei a decisão de cursar marketing e porque a profissão é tão promissora futuramente.


Nunca me esqueço quando tinha por volta de 10, 11 anos e meu pai disse: “Você seria uma ótima jornalista”. Gosto muito de ler, de criar… De escrever então? Nem se fala. Serei jornalista. Meu sonho é ser jornalista, serei ótima. Futuro definido? Mas é claro que… Não.

Prestei vestibular, me tornei bolsista Prouni, peguei minhas trouxas e fui estudar jornalismo. #Foco#Força#Fé

Após um ano de jornalismo cursado e mais três anos por vir, decidi que não me encaixava naquele lugar. Não me sentia bem, não era eu mesma. Não tinha todas as qualidades que um exímio jornalista pretende ter? Talvez. Mas senti que era hora de parar. Que aquele não era meu caminho.

Depois que parei, minha vida virou uma bola de neve. Sabe como você se sente quando tem um objetivo traçado e de repente ele se acaba? Foi assim que me senti por muito tempo. Desde os 10 anos eu sabia o que queria ser, qual seria a minha profissão… E agora o que havia restado? Um frio e nebuloso nada.

Logo depois de largar a faculdade, com 19 anos o meu canal no youtube sofreu um boom, com um vídeo como porta-chefe carregando todos os demais, com aproximadamente 3 milhões de visualizações. Em dois meses, ganhei aproximadamente 4.000 dólares. Trabalhava em uma multinacional, larguei o emprego (estava rica, fuck this shit) e no final adivinham? Me fudi.

Apaguei o vídeo, meu canal sofreu uma descente da qual não consegui recuperar, fiquei sem emprego e em estado de pré-depressão por meses. Até os 21 anos para ser mais exata. Vivendo com os frutos do que eu tinha ganhado e mais alguns freelancers.

Minha vida nunca mais voltou a ser a mesma? Pior… Eu nunca mais seria a mesma.

Eu sabia que ficar deprimida não iria adiantar, foi então que tomei uma atitude e comecei a percorrer o meu caminho até aqui.

Meu pai abriu uma estamparia e chamou-me para auxiliá-lo com o fim de me tornar sócia futuramente. Aceitei. Era um desafio novo e o emprego é relativamente fácil. Claro que começar uma empresa é sempre um trabalho árduo, mas até o momento estamos bem, obrigado.

Definida momentaneamente minha vida profissional, eu precisava estudar. Via pessoas até então sem destino largando a minha frente e eu não poderia ficar para trás. Tenho maturidade suficiente para saber que o mercado é voraz e a inteligência sem o diploma, infelizmente é nada.

Foi então que o Marketing surgiu na minha mente. Trabalhei na Souza Cruz nessa área e me dava super bem, além de estar numa estamparia que futuramente (se tudo der certo) será minha e nada melhor do que um profissional dessa área para comandá-la, correto? SIM!

Após fazer 6 meses de Gestão Comercial na FMU e passar por alguns bocados, me transferi para o curso de Marketing definitivamente e decidi que realmente quero me formar nessa área, e me especializar futuramente.

Agora ao pensar friamente na minha decisão, o Marketing foi a profissão do passado, é a profissão do presente e será a profissão do futuro. Com essa crise randômica no nosso país e em vários outros países, nunca o profissional foi tão respeitado e requisitado. Em tempos obscuros é necessário fazer-se milagre, ou melhor, é indispensável ter-se o profissional adequado que além de não fazer sua empresa falir, a fará ter lucros (?!). É assim que o melhor profissional de marketing trabalha e por isso para a economia de um modo geral, ele é imprescindível.

Obviamente que para exercer a profissão, o talento e a criatividade são necessários, mas antes disso o estudo aplicado e a disciplina são melhor avaliados. Geniozinhos como Don Draper de Mad Men são dispensados hoje em dia, por isso o trabalho em equipe e o compartilhamento de informações é mais valorizado.




Todo mundo é marqueteiro

O marketing está enraizado em nossas vidas de uma forma tão profunda que, muitas vezes, ele passa imperceptível.

Por exemplo, você posta suas fotos pessoais no facebook, textos com suas opiniões, lugares onde visitou, saída com os amigos, tudo isso forma o status quo, mas não quer dizer que também não faça parte do seu marketing pessoal.

Todos as pessoas são influenciadoras e principalmente influenciadas, umas mais do que outras, mas em algum momento alguém tentará te convencer a comprar um livro que gostou, um filme que assistiu ou até mesmo ideias sobre política, economia, etc. E como ela obterá êxito? Através de um excelente marketing, é claro. Mesmo que inconscientemente.

Por isso é importante aprimorar-se nessa disciplina, pois mesmo que não trabalhe de fato na área, o marketing engloba tudo que está presente, desde saber como pedir um aumento de salário ao seu chefe á argumentar com a sua esposa que o restaurante que você deseja jantar é muito melhor do que o escolhido por ela.


O futuro

Por mais que invariavelmente tomei decisões erradas na minha vida, sei que agora estou no caminho certo e ainda tenho muito o que aprender.

O novo Marketing não tem que estar preparado para mim, mas sim eu tenho que estar para ele. E atualmente ele exige mais dinamismo e mais dedicação ao cliente, tornando todos especiais.

Essa foi a minha escolha e será assim, até eu decidir que não seja. O que não será em um curto espaço de tempo. Isso eu posso garantir.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.