Crescimento e desenvolvimento

Há um ano (mais ou menos) eu comecei a ter crises de ansiedade e “ignorei”. Eu sabia que tinha algo de “errado” comigo, mas preferi deixar de lado e não analisar o que estava realmente acontecendo – como sempre fiz quando sentia que tinha algo de “errado” comigo, algo fora do lugar.

A primeira foi antes de um show que eu estava querendo muito ir, de umas das bandas que eu mais gosto: The Maine. Eu comecei a me sentir sufocada e angustiada, queria sair dali imediatamente, mas ainda faltava sei lá quantas horas pro show começar. Respirei fundo e tentei curtir o dia com minhas amigas.

Depois disso as coisas começaram a piorar; eu não sentia vontade de fazer nada, tive crises de choro no trabalho sem motivo algum, descartei sorvete de Diamante Negro e pizza. Só queria ficar no meu quarto, deitada e olhando pro teto. Eu comentava com meus amigos o que estava acontecendo e eu sabia o que precisava ser feito, mas eu não queria fazer, não julgava ser necessário porque eu achava que conseguiria lidar sozinha. Até que minha amiga me passou o número da psicóloga dela e tudo se encaminhou.

Eu fiz terapia por alguns meses, no máximo 2/3, e tive que sair por problemas financeiros. Nesse tempo, eu pude perceber tanta coisa ao meu redor e dentro de mim que hoje eu encaro todos os meus amigos de maneira diferente e consciente de que: tá todo mundo mal, como diria JoutJout.

Esse tempo me ajudou a perceber certas coisas e ter mais empatia pelos meus amigos, especialmente a amiga que eu perdi contato, e seus problemas psicológicos. Eu sempre tive essa empatia, essa paciência, mas ela se perdeu em algum lugar ao longo do caminho.

Tem uma frase muito clichê pelo mundo que eu não estou lembrando as palavras exatamente agora, mas diz algo como “você nunca sabe o que o outro tá passando até sentir na pele” nunca fez tanto sentido pra mim. Contudo, espero que todos comecemos a entender e respeitar e ter paciência e empatia uns com os outros sem precisar passar por nada disso.

Se você não sabe ou tem dúvidas sobre doenças psicológicas, pesquise, pergunte. Joga no google, não sei. Sejam empáticos e pacientes uns com os outros, o mundo tá precisando muito disso.