O casamento

Segunda-feira, 07:45 da manhã,

Ele chega no local, anuncia seu nome,

Dizem para ele: É só aguardar, já já lhe chamam, diz a mulher.

Ele espera pacientemente, observa o entra e sai,

Até que seu nome é anunciado e ele entra na sala,

“Bom dia!” Diz o senhor de cabelos grisalhos e óculos com um semblante simpático e voz calma, enquanto separava os formulários,

Os dois conversam, o senhor pergunta como ele está de saúde e ele é enfático e esbanja simpatia: “Ah, estou bem, só tive uns perrengues no meio do ano mas já foi.”

O senhor puxa o recipiente debaixo da mesa, e enquanto o rapaz assina os papéis ele diz:

Vejo que você não tem aliança aqui, apontando para o dedo do rapaz, mas você sabe que isso aqui é um casamento e não pode haver traição.”

Sim”, diz o rapaz com um ar tranquilo. “Ela é minha parceira, já fiquei ciente disso desde a sua chegada e caso eu queira durar um pouco mais aqui nesse lado a parceria precisa ser fiel, forte e sem desculpas”.

Muito bem”, diz o senhor. “Vejo que está comunicativo, corado e com a saúde boa, você não sabe mas assim que entrou aqui eu já fiz essa leitura da sua pessoa”.

“É, eu imaginei, diz o rapaz com um sorriso tímido enquanto guarda o recipiente na mochila”,

Então, tenha um bom dia e até mês que vem, se despede o rapaz,

Um bom dia para você também e até mês que vem disse o senhor,

A porta de fechou, a fila lá fora estava grande e o entra e sai de pessoas naquela pequena sala repleta de caixas, vidros e cartelas de pílulas será para todo o sempre.