Volátil

A noite foi testemunha

Daquela conversa que até então pareceria rápida,

Que até então seria algo simples e informal,

E notando a intensidade da conversa, logo ela foi convidada para sentar,

Não era uma cadeira aconchegante e sim a muretinha que dividia as casas,

Ambos descalços na grama, com roupas simples,

Ela com uma blusa branca do Ramones, ele com uma camisa velha e surrada,

Assuntos vão, assuntos vem, experiências, gostos e algumas coisas quase em comum,

Ela da engenharia, ele outrora das exatas, agora quase ingressando em humanas devido a exposição acidental a uma nova modalidade de trabalho,

Falávamos sobre séries, ela disse que não falaria por não querer dar spoilers, ele disse que não ligava para isso, ela também disse que não,

A barca de fogos da esperança começou a soltar seus rojões dentro dele,

Ele se sentiu bobo enquanto redigia isso, a única distância física era uma parede e 11 anos de diferença dela para ele,

Tentava lembrar suas feições faciais, só conseguiu recordar-se de seus cabelos negros como a noite,

Mas porquê diabos era difícil lembrar do rosto, talvez o momento foi volátil demais,

É isso…volatilidade

Ah! ele lembrou que ficou devendo a tradução de um filme para ela, só para constar no final não finalizado.