Entropia

Qualquer lugar que eu vá

Depois dessa vida

Provavelmente vai ser o inferno

O único paraíso que existe

É quando estou contigo

E você fala coisas

Que acalmam até o mais terríveis dos pensamentos

Você e eu estamos numa brincadeira perigosa

De recolher os cacos um do outro

E tentando construir,

Não remontar,

Algo

Novo

Mexer em caco de vidro corta

Fundo

Ainda mais por cima de feridas

Que não se fecharam

Talvez nunca se fechem

Mas eu

Com minhas feridas abertas

Seguro sua mão

Ainda com as feridas abertas

Ajoelho

Em cima do vidro

Você me tem

Na sua mão

Escorrendo entre seus dedos

Cada pedaço

Cada palavra

Cada reza

Tudo

É engraçado

Como sempre quando é sobre nós

Ou é muito tarde

Ou muito cedo

Tempo é sempre um inimigo

Indo contra

Ou a favor

Não importa se o universo vai explodir

Ou se expandir

Até congelar

Não importa se tudo vai recomeçar do zero

Não importa que tudo um dia vai voltar a ser nada

Para talvez voltar a ser tudo

Nada

A única coisa que importa é quando olho

E você sorri

E me pergunta o que tanto olho

E eu nunca sei o que responder

Talvez a melhor resposta seja um

“Tudo”