Noite IV

Eu acho que afinal de contas não vou pro céu

O tanto de dívida que tenho de promessa

Só perde pra minhas dívidas no banco

Tudo é um saco

Esse programa de humor que não me faz rir principalmente

Deprimente

Principalmente eu

Se eu tivesse uma entrada pro céu trocaria ela para poder ser teu

Saber que por um momento que você pensou em mim

Faria minha vida valer a pena

Que deprimente.

Vejo um bêbado sentado na esquina

A garrafa entre as pernas sua única companhia

Olhando para a árvore e resmungando

Sinto por ele uma afeição, quase uma visão

Ele tenta levantar mas acaba deitando na calçada

Coitado