Noite VI

Antes que queira dizer qualquer coisa

Eu que sou um fracasso

Fracasso me pertence

Me domina, é a única casa que sempre tive

Mais do que um lar

Quanto mais me dou pras pessoas

Menos paciência tenho com elas

Quanto mais me dou

Mais elas devoram-me

Enquanto passo fome

Quanto menos tento ser

Mais elas querem que eu seja

Um fracasso

Chatterton um dos maiores

Se matou aos 18 por não ter esperança

Porque eu com 20 poderia ter alguma?

Sou apenas a sombra

Do homem que já sonhei ser

Tudo que achei que duraria muito

Durou pouco

E tudo que achei que duraria pouco

Durou muito

Poderia me esconder em cigarros e bebidas

Em maconha e cocaína

Mas isso nunca me completou

Poderia me esconder em tatuagens

Roupas escuras, piercings e atitude

Mas isso nunca me agradou

Nunca soube lidar com pessoas

Não sei a sensação de aproveitar uma festa

E invejo profundamente quem pode ser feliz

A felicidade me é estranha como o frio é estranho para um vulcão

Você espera que eu fale contigo

Te diga bem vinda de volta

E eu espero que você venha se desculpar

Ou agradecer

Nossos egos são doentios e enormes né

Pior que eu gosto de você

Devo ser irrelevante para você

Você me lembra a Cass daquele velho conto do Bukowski

Tenho medo que sua vida seja tão miserável quanto a minha

O lixo é só o começo

As vezes me sinto como um anjo caído

Pura prepotência

Quando o inferno cogelar e o céu desabar

O que vai restar é São Pedro fazendo a chamada

E o diabo colhendo seus frutos

Eu vou ficar na terra sozinho esquecido

Gustavo C Franqueira