Sempre tive vontade de escrever. Apesar de ter total certeza que não fui feita pra isso. E que não levo jeito algum nesse quesito.

Mas sou teimosa. Uma sagitariana nata. E me atrevo a tentativa de fazer da escrita não somente via de escape pra uma mente barulhenta, mas também fazer dela uma voz, que se une à de milhares de outras mulheres, que carregam dores, lutas, cores, histórias que devem e merecem ser contadas, compartilhadas, gritadas.

Sou feminista negra. Arrisco à escrever uma ou outra poesia. Choro vendo filmes da sessão da tarde e acredito em amores à primeira vista. Também gosto de fotografar. De ler fanfics. E pipoca é um vício diário. Tento manter equilíbrio bambo naquela linha tênue que me permite levantar da cama de manhã.

Tenho paixão pela vida, apesar dela me dar nocaute às vezes. E sigo nessa caminhada tentando não me adaptar e deixar dominar pela rotina.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.