Os Segredos do Caos — Amanhã

Dizem tanta coisa por aí, e eu nem sou adepta da palavra “coisa”, mas as vezes faço uso dela, embora não a considere uma palavra linda, ela é prática, tenho que admitir. E o que falam tanto, bom, é o dilema entre viver o “hoje” e o planejar o “amanhã”, por agora me concentrarei nesta palavra o “amanhã”.

Curioso, pesquisei sobre a palavra “amanhã” e não encontrei nada satisfatório sobre a palavra, nem a Wikipédia me ajudou, o que foi bem frustrante. Se eu for analisar a palavra amanhã, ela se refere ao futuro do dia de hoje.

O futuro para mim é uma miragem, e há dois modos de você conseguir vislumbrar uma miragem: em dias ensolarados ou então em um fenômeno mais raro e que acontece em uma camada de ar mais fria próxima à superfície e, acima dessa, uma camada de ar mais quente. Em poucas palavras a miragem é o desvio da luz refletida sobre um objeto.

De modo bem poético o futuro seria então uma miragem, uma luz refletida sobre um objeto misterioso, um objeto que o indivíduo escolhe aqui e agora, para amanhã e depois.

Minha miragem sobre o meu amanhã — fotografia da minha futura janela registrada em 01.04.2017

Faz sentido as miragens serem mais comuns aos dias ensolarados, há estudos que relacionam felicidade a exposição solar, uma pessoa infeliz, não é muito hábil em ver o amanhã, em planejar a própria vida, em apreciar a luz refletida sobre um objeto, ela não vê muito além da própria tristeza.

Você precisa se conhecer ao ponto de saber o que te faz feliz hoje e apreciar essa luz dos dias ensolarados do objeto que para você não é tão misterioso assim.

Fiz um tratamento em 2016 para me ouvir melhor, ninguém pode conhecer melhor você do que você mesmo, e se conhecer é se ouvir melhor, me ajudou e me ajuda ainda, sinto o tratamento reverberando em mim ainda, hoje e agora.

Fotografia sobre o The Sound Bath realizado no dia 12.10.2016

Você tem conseguido viver o hoje em sua plenitude e conseguido com sucesso apreciar a miragem do seu amanhã?

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Suelen Romancini’s story.