a minha metáfora é a tempestade e tudo que ela representa

tá chovendo agora, e, na real, tá tudo bem. eu vejo raios rasgarem o céu como a tua partida me rasgou ao meio, e tá tudo bem. eu sei que a chuva é uma merda pra muita gente, e talvez seja por isso mesmo que eu me sinto tão culpada por gostar. é que é assim dentro de mim. tá tudo bem, até não estar. tá tudo claro, até escurecer. é a bebida que me faz querer me matar ou sou eu mesma que guardo essa vontade em mim como as nuvens carregam a água consigo? eu sei que a chuva, quando cai, faz mal pra muita gente, mas eu gosto. isso me lembra do fato de que é natural desabafar às vezes. me lembra do fato de que eu não vou aguentar tudo pra sempre, e tá tudo bem. eu gosto da chuva porque ela é excessiva, grandiosa. mesmo quando pouca. mesmo quando só garoa. eu gosto da chuva porque ela chora comigo. eu só não gosto de pensar o que pode acontecer quando eu desabar em tempestade. a chuva faz mal pra muita gente, cê sabe. será que a minha tempestade faria mal a alguém? não sei.

enquanto isso, eu relampeio. me afogo dentro de mim. eu gosto da chuva, ela me lembra que tá tudo bem desabar. mas a minha tempestade… essa sim. essa me apavora.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.