Bagagem

Há momentos em nossas vidas que devemos deixar algumas coisas partirem.

Você precisa recuperar aquela mala que não usa há anos e abri-la em cima da sua cama, de modo que fique perto do armário. Escolher as roupas é uma tarefa difícil, já que nelas estão a maioria das lembranças.

Aquela camisa branca que você derrubou o sorvete de chocolate na primeira tarde que saíram juntos. Não estava calor, mas vocês queriam fazer algo diferente, algo que casais normais não faziam em dias nublados, mesmo que isso viesse a chamar atenção e vocês não gostando muito disso. Pegue a camisa, não precisa dobrar, mas jogue-a dentro da mala, e parta para a próxima peça.

A calça rasgada da primeira vez que cavalgaram juntos e você caiu um tombo. Lembra da urgência em que ele foi te ajudar, perguntando como você estava, verificando se estava tudo bem com s seus ossos e depois começou a rir? E não parava mais! Mesmo você pedindo, choramingando e ficando com raiva por ter sido a piada da tarde. Mas que culpa ele tinha? Você sabe que, de certo modo, ele não estava rindo de você. Estava rindo com você, e é isso que casais fazem.

E ainda tem aquele calção branco que você usou quando foram à praia. A vergonha que sentiram por ele ter ficado transparente logo que saíram da água. Lembra como você ficou vermelho? Era vergonha e raiva ao mesmo tempo. Mas também se lembra em como nenhum dos dois se importaram? Vocês continuaram na água, brincando um com o outro, correndo, nadando, jogando água nos olhos do outro e até fazendo lutinha de areia molhada. Lembra o estado que o calção ficou depois que ele te enterrou na areia? Foi devastador.

Ele amava quando você usava essa camisa xadrez. Principalmente quando a vestia direto após acordarem grogues num domingo de manhã, após uma noite bebendo e fodendo. Mesmo que seja uma das suas camisas preferidas, joga ela na mala, não vale a pena continuar guardando. Sim, eu lembro como ele ficou sexy quando usou essa sua cueca branca depois de esquecer de trazer uma. Ficou sexy porque ficou apertada, devido a diferença de tamanho. Essas outras peças ali também, não se apegue a bens materiais.

Há momentos em nossas vidas que devemos deixar algumas coisas partirem. Geralmente essas coisas são pessoas. Mas dificilmente conseguimos suportar essa perda, as lembranças continuam ali, como um fantasma te atormentando.

Então você só precisa se livrar de coisas que trazem essas memórias. Coloque-as dentro de uma mala, e tranque-as lá dentro. Despache sua bagagem para longe. Outro país, jogue-a de uma ponte se for necessário. Queime. Jogue contra a parede. Doe. Não importa, apenas desapegue e livre-se daquilo que te deixa para baixo.

E então renove-se com novas memórias. Desfaça sua mala de coisas novas e vista-se. Sempre que a malinha do seu coração se sentir carregada, abra espaço para coisas novas, e fique sempre preparado para se renovar.


ps: o texto não termina assim, talvez um dia eu consiga continuar escrevendo-o

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.