Jornada de Encantamento pelo Doutorado Informal

Desdoutorado

Há três meses atrás escrevi aqui para contar sobre o início de uma jornada com adolescentes que se iniciava. Hoje aqui passados esses meses fico imensamente feliz em compartilhar novamente esse processo, que avançou e hoje se chama Desdoutorado. Foram três meses tão intensos e potentes que nem tive tempo compartilhar sobre os acontecimentos. Costumo dizer que, quando estou com pouca presença online é porque a vida offline está muito ativa e cheia de acontecimentos. E assim foi nesses últimos 3 meses, de novembro até aqui.

Para não perder nenhuma etapa do que aconteceu até aqui farei uma narrativa dos fatos e de como as coisas foram se construindo de maneira espontânea e livre, como eu acredito que só pode ser a única maneira das coisas acontecerem.

Conhecer pessoas novas costuma ser um desafio, principalmente na adolescência quando existem muitas descobertas e transformações. Conhecer pessoas novas que estejam alinhadas com nossas necessidades, propósitos e maneira de viver a vida, na adolescência, mais desfiador ainda.

Desafio!? Eu gosto de desafios! E me senti desafiada a apoiar essa galera bem legal de adolescentes que se conectou comigo e com as minhas propostas e entre si, de maneira tão espontânea e genuína.

No princípio a proposta era apenas online, mas logo fomos percebendo que o presencial é fundamental e por coincidência ou não, conseguimos juntar um núcleo de adolescentes com idades semelhantes e realidades e desejos semelhantes em São Paulo e a vontade em comum de construir algo juntos, ou de apenas estar juntos para se divertir, para terem amigos. Fomos construindo a proposta e a estamos construindo a cada dia, sem cobranças, sem resultados pré determinados para serem apresentados e sem limite de possibilidades a serem construídas e de pessoas a serem aglomeradas.

Logo em novembro realizamos nosso primeiro encontro presencial no Espaço Maker Butantã. E a partir do primeiro encontro presencial, percebemos que temos mesmo muitos interesses em comum e passamos a construir nossos planos e projetos juntos.

Janeiro foi um mês altamente movimentado e cheio de realizações para o nosso grupo. Fizemos um Acampamento Unschooler de forma tão simples e ágil que foi surpreendente para todos. Ao mesmo tempo que o simples se tornou grandioso e pudemos vivenciar a mágica que a Conexão Natural provoca nas pessoas, nos sentimos felizes, leves e descontraídos. E depois ainda fizemos o Ciclo de Encontros em São Paulo, uma semana super agitada em São Paulo onde “turistamos” um bocado, além de realizar dois encontros mais intencionais no sentido de formar essa comunidade de aprendizagem com adolescentes. Gravei alguns vídeos contando um pouco sobre esses acontecimentos de janeiro.

Apesar de estarmos juntos há apenas três meses, nossas interações têm sido potentes e transformadoras e nossos feitos continuam porque afinal de contas o ano está apenas começando…

Os encontros online continuam acontecendo semanalmente com adultos e adolescentes em momentos separados e temos uma agenda anual com encontros em São Paulo no primeiro semestre e algumas outras cidades no segundo semestre. Estamos nos organizando por trimestre porém já existe a intenção de uma agenda anual mas, para que essa proposta possa seguir adiante também precisamos pensar na viabilização econômica de toda essa força tarefa que está sendo realizada por esse grandioso pequeno coletivo.

A proposta que me pareceu mais coerente ao que busco para mim, para essa rede de pessoas e para esse projeto em específico, foi lançar uma Campanha de Financiamento Coletivo. Os detalhes da Campanha você pode acessar no link, portanto não vou falar muito sobre isso aqui no texto para não me tornar redundante, lá também tem as datas propostas para os encontros presenciais.

Por último mas não menos importante vou contar um pouco aqui sobre a escolha por esse nome Desdoutorado.

O Desdoutorado consiste no meu Doutorado Informal, para quem não sabe o que é o Doutorado Informal, é um livro escrito por Alex Bretas, uma pessoa fantástica que o destino colocou em meu caminho e com quem tenho aprendido muito sobre Aprendizagem Auto Dirigida, Aprendizagem Ágil, Comunidades de Aprendizagem, Redes de Aprendizagem e muitas outras informações bem novas que estão sendo construídas no Brasil e no mundo. O Doutorado Informal basicamente consiste em fazer um Doutorado de maneira informal, sem uma Instituição ou Universidade. E em uma das minhas conversas com o Alex perguntei a ele como seria um percurso de Doutorado Informal com Adolescentes. A resposta que eu tive foi incrível e esclarecedora, ele me disse, faça e depois você me conta, o Doutorado Informal está aí para ser experimentado. Quer resposta mais generosa do que esta? Segui à risca! O meu Doutorado Informal é levar o Doutorado Informal para os Adolescentes e apoia-los em seus processos de descoberta da aprendizagem auto dirigida.

Enfim, o primeiro encontro presencial desse ano já nessa perspectiva de explorar o Doutorado Informal tinha como título: Jornada de Encantamento pelo Doutorado Informal, alguma pessoa, que já não me lembro mais quem, ao ler o meu convite para participar do evento me disse: “- Que nome sério, me dá preguiça até de ler. Por que não Desdoutorado?”Eu achei sensacional, mas fiquei aguardando um pouco para compartilhar com o grupo essa sugestão.

A sugestão fez parte do início de nosso segundo semestre de atividades e foi aceita pelo grupo, agora estamos explorando esse nome que para mim soa muito divertido já que a proposta é desconstruir a Educação, o papel do Educador e a compreensão sobre o que é aprendizagem e mais ainda, começar a fazer um Doutorado ainda na Adolescência.

Seguimos com o grupo online e com a agenda aberta para ser cocriada para 19 a 25 de março. E assim vamos no fluir e nas conexões espontâneas. Se você se interessou por essa proposta ou sabe de alguém que pode se interessar é de imensa contribuição que você compartilhe e nos apoie como puder, existem diferentes maneiras de contribuir.

Seguimos nessa conexão! Até breve!