Cordão Umbilical

… É uma coisa morta mas que já nasce com você. Ironicamente, são tecidos que morrem assim que você nasce. Você já nasce com uma parte morta, mas mesmo assim, um cordão umbilical pode te perseguir até você decidir cortá-lo de vez. Não sua mãe, ou o ser humano que fez teu parto, mas você. Meu cordão umbilical ainda persiste em alguns momentos da minha vida, mas eu sei que decidi cortá-lo na beira da minha adolescência.

Eu nasci destinada a ser comparada com meu pai, seja pela semelhança física ou por eu ser a primogênita. Sempre fui a menina que deveria crescer no reflexo do meu pai. Sempre tive a impressão, essa agoniante impressão que as pessoas olhavam pra mim procurando meu falecido pai, sendo eu quase o oposto dele. Os problemas dos meus pais não são os meus… nem os sonhos. Acho que me apaixonei pela ideia de ser igual a ele há um tempo atrás. Eu queria pilotar aviões, viver nas nuvens. E eu vivo, mas não da mesma forma. Descobri que meus sonhos (naquela idade) eram baseados no que eu esperava ser igual a ele, o meu herói. Mas você cresce e se apaixona por outras coisas, menos esquematizadas e mais sentimentalizadas. Deus sabe… Como eu quis ser igual a ele.

Meu cordão umbilical se rompeu quando como numa epifania, eu esqueci do que eu queria ser. Não planejava mais nada. Eu vivia. E isso, poucas pessoas entendem como pode ser frustrante. Vivi no reflexo do meu mártir, até descobrir que minha própria sombra me perseguia, de um jeito que traçaria meu solitário caminho até ser o que sou hoje. O contrário do que ele era, em questões (ao menos) profissionais. O trabalho é o resultado do seu esforço. Eu nunca tive nem nunca vou ter o mesmo trabalho e esforço que o meu pai. Isso me frustra, de um jeito chato que ninguém vai conseguir entender. Ninguém, nem meu maior amor, nem mesmo minha mãe. Pra muitos isso é balela. Pra mim significa muita coisa.

O meu cordão umbilical persiste minimamente pelo afinco desejo de alcançar. Não os mesmos objetivos, mas o que me guia. Acho que pelo menos isso eu realmente herdei. Em qualquer lugar que ele estiver, seja no ventre que sucedeu as raízes de uma pequena árvore, ou seja no paraíso… Queria que ele soubesse que ainda assim, ele é o ser humano que mais me inspira a fazer o que eu quiser da minha vida. Se alguém te apaga uma vela, a única fonte de iluminação que você possui pra conseguir entender as fórmulas que te levarão a voar, e mesmo assim não desiste e no fim, consegue…

…quem sou eu pra negar essa mais valiosa herança?

Cliffs of Moher. Um dos meus objetivos.
Show your support

Clapping shows how much you appreciated Morgana Oliveira’s story.