E lá vem mais uma história…

Bom, eu confesso que nunca fui uma menina de me apaixonar muito e muito menos de manter relacionamentos. Na verdade eu sempre fui péssima nisso tudo, porque não conseguia me entender ou ser 100% eu mesma com alguém. Sempre foi assim, sabe?

Sempre tive meus altos e baixos na vida, auto estima nem sempre das melhores (não tenta mudar, sou assim) apesar de extremamente independente, e sempre odiei clichês apesar de lá no fundo sonhar em viver um. E eu vivi. Por quase 4 meses.

Eu sempre fui dessas que não queria saber de melação e não acreditava que uma história bonita poderia acontecer comigo, simplesmente porque eu não me achava normal o suficiente pra isso e até encontrar alguém que se encaixasse na minha loucura de certa forma… Mas eu não vi o que ia acontecer quando você entrou na minha vida naquela noite doida, que foi a primeira de muitas. E quem diria, né?

Você foi a melhor coisa que me aconteceu em um ano de muita loucura e indecisão. Seu sorriso e palavras certas nas horas certas e erradas me deixavam flutuar naquele mar de emoções malucas que minha vida havia mergulhado. Eu podia não ter certeza de nada e nem do que eu sentia ao certo, mas eu sabia que sempre que nos víssemos seria intenso e leve. Até hoje, quando escuto o seu nome me vem aquele mix de sentimentos, mas a primeira coisa que vem na minha cabeça é o seu sorriso. Sim, estou falando dele de novo porque ele sempre me hipnotizou, desde quando você não era VOCÊ pra mim. Era maravilhoso qualquer pequena coisinha acontecer e poder correr pra te contar com os mínimos detalhes e você ouvir e interagir exatamente como eu esperava, com empolgação ou com palavras de apoio sempre que necessário. Aliás, elas sempre estiveram ali independente da situação. Chegar meio bêbada no seu quarto e deitar pra ver nossos filmes, sentindo seu ar de preocupação se eu estava bem, ou sentar no canto do meu condomínio para fazer maratona de um dos meus filmes preferidos, receber o melhor presente inesperado e maravilhoso que pude ganhar e com as palavras mais lindas que já me escreveram, ou até então as inúmeras vezes em que a distância não era o suficiente pras nossas incontáveis e incontáveis vezes em que apenas conversávamos madrugadas a dentro sem nos darmos conta da hora, apenas pelo prazer de ouvir um ao outro, mesmo que os assuntos não fossem dos mais alegres.

Mas teve uma em especial que me marcou… Aquela nossa noite mágica de pegar o carro sem destino, rodar pela cidade até parar acidentalmente num jantar romântico e depois ficar conversando e rindo sobre a vida na beira da praia até o sol nascer é com toda a certeza algo que vou levar comigo pra sempre. E eu enfim tinha vivido o meu clichê.

Não sei se ao lembrar dessa noite, se engulo o choro ou se sorrio de canto, porque quem diria que a vida nos surpreenderia assim né?

Ou me surpreenderia?

Sei que quando eu finalmente estava me dando conta do que eu sentia e o quanto eu era feliz ao seu lado (mesmo sem estar ao seu lado), a vida tem dessas de nos pregar um teste. Um teste do qual eu sabia que poderíamos sobreviver, porque o que surgia entre eu e você era único pra mim. Mas não foi bem assim que tudo se deu e acho que até hoje eu não soube lidar 100% com isso. Aquele cara sincero, carinhoso, amigo, companheiro e honesto sumiu e deu lugar a um completamente novo. Um que se escondia, desviava, omitia e nem sequer se importava.

E que não estava mais sozinho.

Desde então eu me vi naquele caminho que passamos juntos, andando sozinha e meio perdida sobre pra qual lugar eu deveria seguir. Até hoje.

Te ver com outra pessoa com a mesma felicidade que eu sentia ter comigo é desesperador, e o pior é que você até hoje não sabe que eu sei. É que você até hoje finge que nada aconteceu, que nada acabou e que nunca proibiu de me falarem. É que você até hoje não me falou nada.

Me pergunto se exagerei me abrindo daquele jeito pra você, se de fato a gente precisa omitir algumas coisas da nossa vida só pra gente. Se eu te assustei, se eu te magoei, se eu errei de alguma forma com você, porque não consigo ver explicação pro que aconteceu entre nós. Não é possível, e eu sei que não, que só eu senti a força do que tinha entre nós e como tudo se levava. Não é possível que um belo dia você tenha acordado diferente, pelo menos eu não consigo ver.

Hoje não consigo mais ver graça em ninguém, não consigo me envolver, não me permito me abrir desse jeito com outra pessoa outra vez. Como sempre fiz e deveria ter continuado assim.

Acho que vou me perguntar pra sempre o que aconteceu entre a gente e se algum dia vamos nos esbarrar na vida outra vez e claro, como vai ser. Enquanto você divide seu sorriso e momentos com outra pessoa e eu ando em círculos, só uma coisa se passa pelo meu coração: Eu só queria ter o clichê que um dia achei ser o meu.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.