As 4 Histórias reais e inacreditáveis de quem andou lá a tabelar.

(Relembramos que são todas histórias reais)

Chapter 1 - Quarentena

Dia de jogo, domingo, estávamos em estágio. Eu lia o jornal na sala de convívio e de repente leio alto uma notícia. “Epá…a Manuela Moura Guedes está de Quarentena na República Dominicana!”

Um colega meu, chateado, manda um murro na mesa e diz:

“QUARENTENA!!! Tem uns 50 ou 60 anos!!!”

Chapter 2 - El México

Final de época, já estamos naquela fase a pedir férias e há sempre aquele diálogo antes das férias.

- Já marquei as minhas férias! É acabar esta merda e arranco para o México.

“Olha, cuidado com o Dengue!!”

(Pausa, pausa, pausa e responde)

-Epá!! Em Julho não há furacões.

Chapter 3 - Não confundam Humidade com Humildade

Treino no Inverno, entrada para o relvado e está aquela névoa, horrível, quase fechada, nem nos conseguimos ver uns aos outros. Vira-se um colega Brasileiro, aponta para a névoa e diz:

“Oh! É a camada de Ozono?”

Chapter 4 - “ Amo Bué a minha namorada”

Já na fase descendente da carreira, convidaram-me para treinar as camadas jovens do clube onde estava. O meu treino era às 20:00 e os miúdos treinavam às 18:00. Como chegava mais cedo, era normal encontrar outros colegas que treinavam outros escalões. Um dia cruzei-me com um miúdo de 21 anos que treinava as escolinhas. Cruzo-me com ele nos corredores e ele lança-me aquele sorriso tímido de quem quer contar uma coisa.

Entramos no balneário e ele olha para mim, sorri e abana a cabeça, como que a dizer “Estou MEGA feliz!”.

Bom, decidi alinhar no jogo e perguntei:

Então pah, que se passa?

Ele responde:

“Amo Bué a minha namorada!!!”

E eu:

Boa! Isso é muito porreiro. Sei que namoras com ela há muitos anos e ainda por cima só tens 21…isso é sinal da maturidade!

E ele:

Epá yah! Mas gosto mesmo bué dela!

E eu:

Sério, ainda bem! Mas o que te aconteceu, para hoje estares assim?

E ele:

Pah! Amo bué a minha namorada. É que fui ontem às putas e, pah, não tem nada a ver, a sério, é bué diferente!

As 4 Histórias reais e inacreditáveis de quem andou lá a tabelar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.