Rio de Janeiro, 23 de outubro, 2018.

Boa noite,

Afinal de contas, quem sou eu?

Bem.. Sou Taissa Rosado, prazer! Uma mulher questionadora e determinada, combinação essa que sempre me ajudou a propor ideias novas e melhorias nos projetos em que me envolvi, e a buscá-las como fosse preciso, transformando processos e pessoas pelo caminho — sobretudo eu mesma. Enxergo a “vontade” como um vetor fantástico para as transformações, pessoais e do mundo, e trabalho essa ideia diariamente para me transformar no catalisador das reações geniais que desejo conquistar, de trabalho, especializações, voluntariado social e viagens — muitas viagens! A Taissa que eu conheço ainda é corajosa (dito assim, na terceira pessoa, para manter a humildade intacta), e enfrenta seus desafios pra conquistar seu lugar no mundo, certa de que não chegará lá sozinha. Empatia e simpatia rimam demais comigo, além de concluírem bem esse resumo sincero, e de serem características que muitos amigos indentificam em mim.

Nessa minha valiosa trajetória de vida até aqui me orgulho demais de não ter escolhido os caminhos mais simples e óbvios, apenas por suas condições de facilidade. Sou de Niterói, filha de engenheiro elétrico e psicóloga, e fui experimentar diferentes futuros, em graduações profissionais, instituições e cantos do Estado diferentes, antes de me achar na Engenharia Química da PUC — parte do que hoje me define e inspira. Mas, nem tudo são flores, a PUC é uma instituição cara, e para isso, tomei a decisão de EU arcar com os custos dela, e com isso, entrei para o Fies, e posteriormente consegui uma bolsa na faculdade. Exige determinação, e coragem, viu?! Além de apoio, claro. Venci distâncias e interrogações, e conquistei independência, o poder da certeza e o prazer do conhecimento! Não tem preço.

Bem, mas nem tudo são flores, quem não tem algo que faria diferente se pudesse? Não conheço não. Dançar é um prazer desde muito tempo, cheguei até a cogitar fazer faculdade de dança. A dança foi, além de uma paixão, a responsável por me ensinar a perseverar e a corrigir através da insistência, além de amor, movimento, ressonância. Olhando para trás, privilégio que temos tarde demais, eu percebo que tracei o caminho certo de não ter ido pro lado profissional da dança, mas ainda assim, eu acho que teria sido possível conciliar formação e dança como um hobbie. Mas nunca é tarde, certo?

Além de tudo, sou curiosa e antenada em assuntos de zero waste e sustentabilidade, e voluntária em projetos sociais diversos.. Consumir e discutir essas questões abre um horizonte enorme para novas alternativas, de cuidados com insumos, origens e impactos, embalagens e logística, enfim.. Minimizar nossos impactos no mundo, na sociedade e na vida é algo que me move e comove, mas sem perder de vista a importância da busca por resultados, a saúde financeira e os legados que podemos proporcionar.

Finalizando essa apresentação, eu gostaria de dizer que eu quero fazer bonito no programa de trainee da J&J para acelerar meu desenvolvimento profissional e seguir buscando a melhor versão de mim mesma, enquanto ajudo essa empresa que eu acredito e admiro a cuidar do mundo de maneira sustentável e humana

Eu quero, assim, ser lembrada pelo bem que proporcionei, pelas conquistas que fiz por merecer, e pelo legado que eu ajudar a construir com meu trabalho. É a ideia de trabalhar de propósito, tanto pelo lado de tomar consciência das minhas ações e de seus reflexos, quanto de aliar o aprendizado diário, a melhora constante e o reconhecimento consequente, à algo maior e permanente, de fazer a diferença na vida das pessoas. Ai, fica mais fácil.

Muito obrigada, e até breve.

Taissa Rosado