Como se aprende comunicação não-violenta

Eu penso na comunicação não-violenta como um outro idioma. Tem que aprender toda uma outra forma de pensar, de posicionar sujeito e predicado, de se relacionar com as pessoas, de traduzir pensamentos da linguagem habitual para essa da não-violência.

Como qualquer idioma, a gente aprende praticando.

Como qualquer idioma, no início a gente parece uns robozinhos falando umas fórmulas que parecem que ninguém mais usa na vida real… Mas depois de uns meses, começamos a reparar em algumas coisas aqui e outras ali… Mais um tempo, a gente entende que já até consegue falar umas frases… E assim vai.

O segredo para aprender a comunicação não-violenta é a prática.

Nos últimos três anos, a CNV tem sido um foco meu de investigação e vivência, tanto no Ninho de Escritores quanto na vida. Tenho escrito sobre comunicação não-violenta, gravado vídeos, facilitado eventos e ensinado outras pessoas. Para continuar fazendo isso, agora de forma mais sistemática, criei uma newsletter, por meio da qual vou compartilhar essa minha investigação.

Para receber meus e-mails com textos e vídeos sobre CNV, é só colocar e-mail e nome nesse link: http://eepurl.com/gdrD4r.

Vamos juntos aprender essa linguagem de vida?


Originally published at Tales Gubes.